terça-feira, 23 de fevereiro de 2016

Demorou, mas chegou

A proximidade dos 40 anos também me trouxe uma característica que nunca pensei que fosse desenvolver (até porque nunca foi uma vontade minha): não me esforço mais para agradar ninguém. Acabou-se o charme, acabou-se o esforço. Aqui está o conjunto completo montado desde 1976, nem um sorriso extra.

Tem sido algo muito natural, como ter percebido que as pessoas afinal podem ser más só porque sim. Talvez tenha sido uma consequência disso. Mas para quem sempre andou em esforço para agradar gregos e troianos, esta nova forma de estar é bastante relaxante.

Só não é completamente relaxante porque ainda não cheguei ao ponto de não me chatear quando não agrado, mas terá de acontecer, certo?

5 comentários:

Ana. disse...

É relaxante e tremendamente libertadora!

Estou quase lá, também!
(com uma certa ênfase no quase, é certo!!)

:)

sal disse...

Embora com tristeza, digo-lhe que pelo menos não sou a única a ter gente má só porque sim, à minha volta. Acho sempre que a culpa é minha, que estou a pagar alguma coisa mal feita que fiz e da qual não tive oportunidade de me redimir. Vou nos 42 e ainda me entristece perceber que não sou do agrado de algumas pessoas. Ainda...

Amigo Imaginário disse...

Eu acho que no fundo... é impossível não gostar de ti, certo? :)

Melissinha disse...

Isso era nos velhos tempos, dona R. :) Ando uma quarentona inaturável.

Naná disse...

Não lhes agrada, não "comem"...

É a ti e aos que amas que tens que "agradar"! :)