quarta-feira, 4 de junho de 2014

Isto vai soar incrivelmente pedante, mas lá vai

Às vezes sinto ideias antigas, amadas, histórias meio escritas, interesses meio perseguidos, tudo ao molho a bater-me na cabeça: quero sair, quero sair, quero sair!

Uma delas tem mesmo de sair urgentemente, sob pena de morrer. Já agonia, e meu Deus, como eu a amo, como ela sou eu, um bom bocado de mim.

Sim, uma questão de prioridades, eu sei. Mas caramba, é difícil dizer não a trabalho pago. Já disse isso algumas vezes, não disse?

3 comentários:

gralha disse...

E se, arranjando tempo para o remunerado e para o não remunerado, te sentisses cheia de energia e começasses a ser mais produtiva? Acontece a muito boa gente.

Gostava tanto que deixasses vir cá para fora pelo menos uma dessas histórias, a sério.

Melissinha disse...

Uma está in the works, Gralha. Arranjei remédio santo para a procrastinação: um parceiro empolgado.

Melissinha disse...

O problema é que o meu trabalho pago também é criativo. Ao fim do dia sobra pouca energia. :/