quarta-feira, 28 de janeiro de 2015

Os adolescentes

Duas da manhã, o prédio dorme. A praceta dorme, o bairro todo dorme. Talvez só a luz do Pingo Doce esteja acesa no outro quarteirão. Se fosse verão, ouvíamos grilos neste post e ficaria muito giro.

Eu, na cama, acabo de ler um livro de amor adolescente, suspiro alto como quando vi o teledisco de Always pela primeira vez. Não durmo, quero saber o que acontece aos protagonistas, foda-se, eles merecem ser felizes para sempre. 

Ele na sala, headsets postos, mata extraterrestres e sei lá mais que tipo de criaturas. Tem picos de adrenalina a cada vez que o tentam assassinar.  

Ninguém nos manda apagar a luz. Ninguém nos diz que amanhã temos teste. Ninguém nos vai acordar no dia seguinte aos berros por estarmos atrasados. 

E eu não sei se isto é bom ou deprimente. 

6 comentários:

gralha disse...

A sintonia dos ciclos circadianos é mais importante do que as orientações políticas, no casal.

Melissinha disse...

Aqui a diferença é de, no máximo, uma hora - até nos empolgamos nas mesmas alturas.

Ana. disse...

Não é bom, é fantástico!!

Amigo Imaginário disse...

Gente que fica noite dentro presa ao que estava a fazer por puro prazer, sozinhos mas a dois, merece todo o meu respeito. :)

dona da mota disse...

É muito, muito bom, Melissa! As nossas melhores conversas, grandes feitos e sei lá mais o quê acontecem de noite, a dois, com todo o tempo do escuro.
Às vezes de manhã custa um bocadinho, vá, mas é o tempo só nosso...

Want Lisbon House disse...

Possam os meus filhos viver isso antes dos trinta e, por falta de experiência, nem sequer saberem que poderia ser diferente. Talvez assim, quando forem mais velhos, tenham padrões de sono mais saudáveis do que eu e o pai ou, sei lá eu, pode ser que durmam entre as 5 da manha e as 3 da tarde, sem culpas :)