quarta-feira, 20 de janeiro de 2016

Sobre o não estarmos sozinhos, mais uma e mais uma e mais uma vez.

Em relação ao tinnitus, tenho neste momento cerca de três dias bons para um pior. O último dia mau que tive (antes de hoje) foi na quinta-feira passada e foi um verdadeiro horror, com ataque de pânico pelo meio e muito, muito sofrimento. 

Hoje voltei a ter um dia mau, e já não foi tão mau quanto a quinta passada (uhuuu, ponto para mim), consegui, mesmo com os ventos uivantes nos ouvidos, fazer uma aula de zumba. 

Mas o que queria dizer aqui era outra coisa. Uma coisa comum aos dias maus é a leitura de fóruns sobre tinnitus - só as histórias de sucesso, mas mesmo assim. É fácil enveredar-me pela pesquisa, que é coisa que não ajuda rigorosamente nada porque esta merda não tem cura, ou desaparece ou me habituo e o caminho é a aceitação, e não a luta. 

Ora, se te faz mal, porque vais lá? Boa pergunta. As histórias de sucesso consolam-me e dão-me esperança. Por outro lado, fazem-me concentrar no zumbido, que é coisa indesejável para o tal caminho da aceitação. É uma faca de dois gumes mesmo. 

De três dias para cá, não consigo aceder a sites sobre tinnitus, nem pelo PC nem pelo telemóvel. Fui à página do Facebook dos fóruns que frequento e ninguém reporta nenhuma anomalia.

Estou impedida, pela tecnologia que tenho disponível, de chafurdar sobre os meus ouvidos. 

Não acho que seja uma coincidência. 
Não acho.

2 comentários:

Ana. disse...

Eu sei que é uma coisa nova para ti, mas quando aprenderes a ignorar o sininho, a tua vida vai melhorar de uma forma absurda!
Um dia, um dia!

Ass: sininhos nem vos oiço!

Melissinha disse...

:D Melhor comentário de sempre!