quinta-feira, 28 de janeiro de 2016

Um daqueles posts que julguei que nunca iria escrever (curtíssima sobre)

Sim, as pessoas são cabras umas para as outras muitas vezes, por nada.
Sim, as pessoas farejam fragilidade dos outros e muitas vezes usam-na a seu favor.

Sim, tenho de aprender a manter o bico fechado.

4 comentários:

gralha disse...

Ainda bem que sou uma pateta que nunca repara quando lhe fazem (fazem?) dessas coisas. Passam-me por cima como os aviões.
Não deixes que te controlem o bico, já dizia a minha avó gralha.

Melissinha disse...

Oh, Gralha, jurei que nunca me ia tornar amarga. Odeio aqueles posts sobre a ingratidão de tudo e de todos, de o mundo está contra mim, etc etc, mas de uns meses para cá a minha vida tem-me mostrado coisas.
Daria um mundo para voltar a ser a pateta alegre sem papas na língua nem no coração que era dantes, mas tornou-se incomportável.

Ana. disse...

»Daria um mundo para voltar a ser a pateta alegre sem papas na língua nem no coração que era dantes, mas tornou-se incomportável.»

E assim se resume, numa frase só, TUDO o que queria dizer.

Mafalda disse...

eu tornei-me asim (um pouco amarga e ressentida, tenho noção) porque já levei tantas patadas da vida e dos outros, às vezes por coisa nenhuma, que me modificou a esse ponto. Era uma alegre, ingénua de coraçao perto da boca. Agora dou por mim a pensar duas e três vezes e desconfio de tudo e de todos. Não é bonito não, nem bom e torna-me amarga e seca, mas é a vida.