quarta-feira, 25 de fevereiro de 2009

A paz


Há uns dias chamaria a esta foto, ingénua ou estupidamente, "a derrota". Mas não.

18 comentários:

Ana C. disse...

Melissa a tua paz de alma aparente tem o cabelo parecido com o do Paulo Bento?!

Supertatas disse...

o cabelo >:D

Ana C. disse...

Espera lá, só agora atingi o significado do texto, porque só agora percebi que está um biberon na fotografia...
A derrota só se for para ti, porque ele está com um ar bastante satisfeito :)

Melissinha disse...

OH MEU DEUS.
VOU MATAR O HUGO.

Carla Barroso disse...

Afilhado, vais levar na carola!!!

Sónia disse...

Lindo o Gabriel!!!!

Um pedaço de azul... um BloGui diferente disse...

Derrota porquê?!
Paz... só, paz, faz sentido... ele é lindo e tão sereno e perfeitinho1
parabéns! Parabéns!
beijos

Mafalda disse...

adorei o cabelinho e o facto de ele ser tãããoooo redondinho! :) *

Humildevaidade disse...

Derrota, sim percebo-o bem. A natureza é malina, às vezes. Comigo foi, tenho os mamilos planos... ainda assim, amamameitei exclusivamente durante um duro mês. Chorava, estava descontrolada, tudo e todos me irritavam, até ele, por não pegar... eu própria me irritava por não ter bicos, por não ter mais leite... por ser incompetente (sentia me mesmo assim) Tinha uma visão absolutamente romântica do acto de amamentar.
Ao fim de um mês a pediatra achou que ele devia estar mais gordinho, mais uma derrota, doeu mais que todas as feridas que tinha nos mini-mamilos.
Agora, tem nove meses e é saudável, muito mesmo... sei que fui a melhor mãe que pude ser.
Ele é feliz, eu sou feliz... e sim, regalava me ao vê-lo satisfeito depois de um biberon!!

Felicidades, muitas mesmo!!

manue disse...

cara melissa.
Também eu estava super preparada antes do parto, tinha lido tudo, sabia a teoria toda. Também eu estava confiante ao ponto de achar que comprar um biberon era um disparate.
Também a mim me correu mal (tendo mamilo plano o Lucas demorou semanas a conseguir agarrar a mama) e nunca imaginei que algo que parece tão natural podia ser tão duro.
MAS, sempre com o complemento do leite de lata, consegui amamentar até aos seis meses. No entanto o safadinho preferia o biberon e berrava quando via a mama:)
E correu tudo bem.
E contigo vai correr bem, desde que não entres em stress. O importante é que estejam bem os dois (e os três!).
Eu no princípio teimei em não lhe dar suplemento por causa das conversas das pro-amamentação, e o menino perdeu peso, além de berrar o tempo todo. Depois caí em mim e fiz o melhor para ele e esqueci aquilo tudo que tinha lido
Parabéns;:) Espero que as dores tenham passado

Bailarina disse...

Beijo muito grande de alguém que entende muito bem que na maternidade não há derrotas, só conquistas!

Melissinha disse...

Humildevaidade, é exactamente o que estava a acontecer comigo, e por causa desse stresse, sempre que o puto vinha para o meu colo vinha aos berros. Estava a transformar a nossa relação num autêntico inferno para ambos, e não teria sanidade para aguentar isso por muito mais tempo. Admiro-te imenso por teres seguido em frente até ao primeiro mês. Sinceramente, duvido que eu consiga a façanha.

Hoje voltei a tentar. Consegui que mamasse por alguns 15 segundos. Quando ele começa a chorar, sussurro-lhe que prometo que não vai haver mais maldades.
(muito foleiro, mas funciona... para mim. Sim, porque estou a dizê-lo a mim, não a ele.)

Melissinha disse...

É interessante ver que tanta gente partilha da mesma história. Porque é que não ouvimos falar delas? Ou fui eu que me mantive, por meu próprio pé, fora da realidade?

Margarida disse...

Olá mamã.
Em 1.º lugar, muitos parabéns pelo nascimento do Gabriel. As maiores felicidades!
Em 2.º lugar, quero dizer-te que neste mundo onde apenas a amamentação bem sucedida merece páginas de revistas e de internet, cartazes, folhetos e campanhas, notícias de televisão, palestras e frases feitas em cursos de preparação para o parto, pouco lugar, ou nenhum, há para nós. Sim para nós porque também não fui bem sucedida na amamentação. Sofri horrores, fisicos e psicológicos, principalemnet pela lavagem cerebral que levei quando engravidei. Aguentei a minha filha no meu peito apenas durante uma semana e não em exclusividade. Aguentei até ao 1.º mês a tirar o leite 2/3 vezes por dia à mão e com a bomba electrica. Já não tinha forças no pulso e já começava a ficar com o peito macerado da bomba.. Quando as dores não me deixaram prosseguir fiz uma mastite e fui aconselhada pelo médico a deixar de sofrer. Por mim e por ela. Aceitei e hoje sei que foi o melhor que fiz.
Se sou revoltada? Sou. Se fico pelos cabelos com tanta proamamentação? Fico. Pela primeira vez decidi dar a minha opinião sobre isto porque estou cansada. Passei o que passei, vejo mães a passarem pelo mesmo e nem uma palavra pública sobre isto. Porquê? Afinal é a socieade que nos faz sentir menos mães. Não por não termos conseguido amamentar, isso nunca. Mas pelo simples facto de não darem voz a casos reais como os nossos. Se calhar mereciam mais preocupação e importância que os outros.. Ou estarei eu enganada?
Desculpa o desabafo mas algum dia tinha de ser..
FORÇA!
beijinhos

Supertatas disse...

eu cá sempre disse te disse te disse isso, que se tivesse outro era logo a biberon, tu olhaste para mim de sobrolho franzido : P

Melissinha disse...

para ti e meio mundo! :P

Melissinha disse...

Margarida, obrigada pelo testemunho também.
Sei que daqui a uns tempos terei muita coisa a desabafar, mas, com sorte, terei mais ainda a celebrar!

Bailarina disse...

Minha querida ainda não pari e detesto que a ditatura da amamentação! destesto que façam sentir as mulheres que não amamentam como egositas e outras coisas que tais!
Como diz a minha mãe "quem sabe da tenda é o tendeiro"
Beijo muito grande