sábado, 7 de fevereiro de 2009

SOS amamentação


Fiz hoje o workshop "Amamentar: Como, porquê e até quando" e ADOREI. Depois do meu ecografista giraço e querido - o meu marido acha o mesmo, portanto, xiu - foi a melhor coisa da gravidez até agora.
A minha formadora, a Bárbara, domina. DOMINA. Saí de lá muito mais tranquila e bem informada do que cheguei.

Quero estar tranquila e confiante quando chegar a altura, a ver se consigo amamentar exclusivamente o máximo de tempo possível. Sempre achei que fosse um direito do bebé, que não pediu para vir ao mundo e por isso não tem de ser amamentado por vacas. Espero que corra bem, pois vejo muitas expectativas logradas.

11 comentários:

Ana C. disse...

Neste caso as vacas somos nós... AH AH AH
Também fiz um mini curso sobre amamentação, mas não me preparou lá muito bem emocionalmente. No hospital vão-te ajudar mais.
Não imponhas sobre ti mais um peso de "maternidade perfeita". Sabes que nos lavam muito o cérebro de como somos piores mães se não dermos de mamar e de como isso é terrivel para a criança. É outra merda que não devia acontecer. Porque imagina que as coisas não correm tão bem como eles pintam? Ficamos com uma bruta deprê (o meu caso) e achamo-nos as piores mães do mundo por não darmos a teta ao nosso filho e não é assim.
Se correr bem é maravilhoso, se não correr bem é maravilhoso também. Assim sempre pode o resto do pessoal ajudar-te a dar comida ao puto e ele não é menos saudável por causa disso :)

Melissinha disse...

Sim, sim. Conheço vários casos de depressão por causa da p... da amamentação também. A opção aqui em casa é tentar com afinco, sem facilitar a entrada do leite artificial. Delineámos um bom plano com a orientadora para isso, sem radicalismos e tendo como prioridade a saúde do puto. As orientadoras de aleitamento materno da SOS amamentação são hardcore em termos de informação, mas não em termos de aplicação.

Acho que sem expectativas radicais a coisa corre bem. Estou confiante. Este workshop não tem nada a ver com o que ensinam nos cursos pré-parto, pelo menos no meu. As conselheiras dão-nos o telemóvel e inclusive vão à visita do hospital caso não nos sintamos apoiadas pelas enfermeiras.

Foi sempre a minha única bandeira nesta gravidez, tudo o resto está um bocado ao sabor do vento, se correr bem, corre, se não correr, há alternativas. Aqui vou dar mais luta. :)

Ana C. disse...

Força! Eu tinha o número SOS amamentação no meu frigorífico. Mas foi aos braços da minha médica que fui parar :)
Só não te sintas pior vaca/mãe se não conseguires cumprir todos os objectivos.
E acredita que conheço de tudo, putos cheios de doenças que mamaram e putos sãos como peros que beberam biberon.
Enfim, faz o melhor, mas não te consumas.
Para ti os votos de uma boa e descomplicada mamada. (isto soou um bocado mal) Porque pelo menos litros de dinheiro poupas em leite.

Melissinha disse...

Hehe boa mamada é o ó do borogodó.

Mas a verdade é que fisicamente ficamos mais parecidas com uma porn-star copa F dupla do que propriamente com a bovina criatura em si, portanto o termo até se adequa!

Bailarina disse...

estou há que tempos para escrever sobre a amamentação e ainda não cosnegui!
Porque eu quero, e quero muito! mas não posso concordar com o peso que se coloca na amamentação!
Detestei a forma como foi tratado o tema nas minhas aulas, parecia que as crianças não amamentadas além de infelizes e burras iriam ser muito doentes...não concordo, não posso! beijos e boas mamadas(não resisti a escrever isto)

Melissinha disse...

Pois é, Bailarina, é outro dos temas em que as gajas do costume gostam de radicalizar. Por isso gostei tanto do curso do SOS amamentação, porque desmistifica isso tudo.

Não sei porque é que as gajas do costume não se dedicam a mostrar apenas o lado positivo daquilo que defendem, e não a mostrar o negativo do que condenam. Acho de uma ignorância e uma prepotência descomunal.

Olha, também desejo biberons a essas gajas todas!

Ana C. disse...

Bailarina e Melissa aplaudo e posso dizer-vos que já passei pelo "trauma" das gajas do costume na pele. Para elas uma tetina e um leite em pó bem cheios :)

Portaria ILEGAL disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blogue.
Pati disse...

Também fui ao curso da SOS amamentação e comprei o livrinho e tudo, o guia da amamentação do pediatra espanhol famoso.
Bem, a verdade é que por muito que nos preparem, não é o suficiente...
é muito mais complicado que pôr a teta de fora, que era o que eu pensava da amamentação... O meu Gôdo está a exclusivo, mas tb ainda só tem 6 semanas, mas senti-me logo uma incompetente quando a enf parteira me disse, na "1ª mamada" (gostaram?!) do meu filho, que ele era gordo, que as 3 gotinhas de colostro não o iam alimentar, que ia berrar de fome, etc.. já ela vinha com o suplemento na mão. Não beeu do suplemento, não chorou a noite toda, chorei eu por não lhe conseguir dar a mamoca, e até hoje uso bicos de silicone, e quero lá saber, o importante é que o miúdo esteja satisfeito, mas sim, as do costume quase que me crucificam por causa dos bicos...
Amamentação, sim, mas fundamentalismos não.
Agora, prepara-te, é bem mais dificil que o que imaginas... E sim, há dias em que parece que nunca chegaste a guardar a mama, e sim, há dias em que entendes porque é que há mulheres que decidem não amamentar, e sim, há dias desesperantes....
Mas cada vez que o vou pesar, esqueço isso tudo. Beijocas!!!

Melissinha disse...

Que bom ver a outra mãe-de-Gabriel por aqui, Pati, vai aparecendo!

O meu centro de saúde é totalmente pró-amamentação, e lá disseram-me que o bebé nasce com o estômago colado, que basta 5ml de colostro para que fique bem. Confirmei isso noutros lugares.
Acho que as enfermeiras querem calar os bebés a todo o custo e tenho a certeza de que até estão bem intencionadas, mas não, obrigada. Vou tentar.

Pati disse...

Eu vou passando, mas nem semrpe tenho tempo de comentar, que como vais ver, o Tempo adquire novas perspectivas...
Continuamos na mamoca, em exclusivo, este Gabriel ainda não conheceu biberons ou copos ou suplmentos, e já vamos com 5,550kg, com mês e meio...
E é mesmo verdade que os bebés vêem com reservas suficientes apra se aguentarem até haver colostro suficiente, não nascem com fome!!
Beijocas!!!