quarta-feira, 16 de setembro de 2009

Somos muito desenrascados, levamos o bebé a todo o lado e fazemos tudo o que fazíamos antes.

Bem, nós não.

Não levamos o Gabriel a sítios com multidões.
Não levamos o Gabriel a lugares desconfortáveis para ele, sem condições para lhe dar de comer ou trocar a fralda com um mínimo de estrutura.
Não passamos dias inteiros com o Gabriel na rua, porque ele não é adulto e cansa-se.
Cancelamos compromissos em cima da hora por causa dele.
Evitamos ao máximo mexer na rotina de sono, ou seja, saímos pouco à noite, nem que seja cedinho.
Ele dorme no escurinho e sem barulho, nada de "ahh acostumei-o a dormir em todo o lado." (Também dorme no carro e no carrinho, mas a mais não o obrigamos.)
Nada de rua a horas de sol quente.

Ou seja, nada desenrascados, nada de ir a todo o lado, a vida mudou completamente. Ele não é um terceiro adulto na família, e tentamos agir de acordo.

Por incrível que pareça, saímos e divertimo-nos imenso os três.
Sempre à medida DELE.

19 comentários:

Ines disse...

Eu concordo 100% contigo.
Eu não consigo levar a Ines para todo o lado, na hora de comer é sempre um guerra, o dormir a mesma coisa e ela ate era um bebe que dormia em qualquer lugar mas agora tudo é novidade para ela. Ela quer ver tudo.
A cada coisa em seu tempo.
bjs

Marina disse...

São vocês e nós. Se a nossa família está diferente, porque haveríamos de continuar a levar a vida de antes? Para agradar a terceiros dizer que somos muito desenrascados? A nossa felicidade e bem-estar está em primeiro lugar. Bjs

Ana C. disse...

Ah Ah eu também ouvia muitas vezes a frase: Mas vocês não podem andar em função dela, têm que habituá-la logo a ir convosco blá, blá, blá.
Pois lamento informar que quando ela está bem, regra geral nós também estamos. Por isso sempre evitei levá-la à loucura, expô-la desnecessariamente, deitá-la às 3 da manhã, adormecê-la debaixo do aspirador, levá-la a dar a volta ao mundo dentro da nossa mochila etc...
O que é que se há de fazer, sou assim, linchem-me por isso.

Célia disse...

Pois nós somos preccisamente ao contrário. Dentro do possível e sem loucuras, levamos o Afonso connosco. Já viajou de avião 2 vezes, ida e volta, viagens de 12-13 horas, uma delas apenas com 2 meses. Teve de ser. Só não fazemos mesmo o impossível, que é ir ao cinema e sair a sério à noite. Dorme em todo o sítio, mas não deixa de fazer o seu berreiro primeiro.Em Novembro vamos para o japão, os 3. Se sou irresponsável? Não sei, não me interessa. Nós somos assim e sei que se estivesse em Lisboa, já tinha sido apedrejada em praça pública pelas coisas que faço com ele.
Beijos

Pekala disse...

Concordo,essa de habituá-los a dormir em todo o lado é caca pra mim,então se eu passáva o dia inteiro sozinha com ele ia-me pôr a bater tachos à porta do quarto?eu tbm gosto de dormir em silêncio e no escuro!e tbm alterei tudo por causa dele e só começei a retomar aos poucos por volta dos 2 anos e pouco dele.pra quê massacrá-los se depois quem fica massacrado somos nós?faz o que achares melhor e acabou,e já agora faz tbm orelhas moucas a todos os "conselhos"...

Melissinha disse...

Célia, eu há muito que deixei de condenar seja o que for. O que me cansei foi de ter as minhas opções condenadas.
Todas nós trabalhamos dentro da nossa zona de conforto, e a tua é diferente da minha. Sem problemas, os dois bebés estão lindos e sorridentes. É o que importa, no final.

Eli disse...

Olá Melissa, já acompanho o vosso blog que acho o máximo à muito tempo mas só hoje comento. Realmente depois do Lourenço nascer a nossa vida também mudou drasticamente e tivemos que nos adaptar e fazer só o que estiver de acordo com as rotinas dele... ou pelo menos tentamos... e passo-me quando tentam que faça o contrário ... Beijos

Melissinha disse...

Olá, Eli, bem-vinda (ou é bem-vindo?)

Acho que nós, mães e pais, somos sempre criticados pelas nossas opções. Ou é porque expomos demais o bebé, ou somos superprotectores. Ou tentamos demasiado amamentar ou não tentamos nada. Ou damos colos a mais ou somos uns insensíveis, enfim.

Mais do que treinadores de bancada, o que não falta por aí são os pedagogos de bancada.

Miguel disse...

Percebo-te. Quando o Gabriel era mais piquinino também planeávamos muito bem as nossas saídas e acautelava-mas as necessidades dele. Hoje está um pouco mais fácil mas mesmo assim...
E é verdade, é possível divertirmo-nos a três mesmo nessas condições!

Patrícia disse...

Pois cada pai sabe o que é melhor para os seus babys e cada um faz o melhor que pode, isto de criticarem como educamos os nossos filhos dá pano para mangas eu às vezes penos que este mundo está cheiro de pais perfeitos pois há sempre opinanços. pois as nossas famílias mudaram e não é o baby que se tem que habituar às nossas rotinas e nós estaremos felizes se estivermos em família pois isso é que relamente conta. beijis

sofia disse...

Parecemos nós.
E sim, fartamos-nos de ouvir comentários relativamente a isso
Bjs

Ana. disse...

Que lindo Melissinha!
Uma vez ouvi uma mãe dizer: bolas que ele nunca mais cresce para eu poder ir ao cinema sem ser para ver filmes de bonecada!
...
Vocês vão certamente ter tempo para voltar a fazer os vossos programas, mas agora é bom ver que o bebé não é um empecilho na vossa vida.
;)

Luisa disse...

Acho que é a primeira vez que comento aqui e só para dizer que se vocês estão bem e o Gabriel também, então está tudo OK. Vocês pais sabem o que é melhor para vocês e para o vosso filho e ninguém tem nada com isso!

Bjs

Bailarina disse...

Sabes que dou poucos ouvidos aos outros, aos palpites, por isso acho que fazes muito bem nas tuas opções, que são isso mesmo opções em função dos 3, e não só dos 2, nem só do Gabriel!
Já deves ter percebido que nós somos diferentes, e por isso também nos olham de lado, também dizem: coitadinho habituado a esta vida, como se vai habituar à outra!( vida de borga vs vida caseira)
O raúl dorme em todo o lado, se foi por o habituarmos? não sei, mas se não dormisse nós não saíamos...Damos-lhe comida fora de casa, mas há sempre alguém que nos olha de lado, temos pena!
Não o levo para multidões, nem ao continente, nem para o sol! isso não é ser desenrascado, é outra coisa! ehehehe!
Se sou desenrascada? se calhar sou, mas porque o meu filho colabora muito, senão enfiava o desenrascanso noutro lado!
Beijos minha querida e faz o que for melhor para vocês! os outros que tratem dos filhos deles ou então de ter filhos!

Humildevaidade disse...

Exactamente... nós por cá a mesma coisa. Os amigos sem filhos não percebem e apelidam-nos de preguiçosos... acho mais justo ser ele a marcar o ritmo, pouco a pouco ele mostra-nos para o que é que já está preparado.

**

Maria e Companhia disse...

Boa tarde...

A nossa vida também é vivida de acordo com a rotina deles... mesmo hoje com 7 e 5 anos ainda mantemos o respeito pelo horário de deitar durante a semana (21h) e mesmo ao fim de semana tentamos não esticar muito a hora (23h-23h30 no máximo), evitamos locais onde sabemos que eles não se sentirão bem... se somos uma familia temos de viver a quatro felizes com rotinas e vidas onde estejamos todos em sintonia...

Tudo de bom...

Maria e Companhia

Ana disse...

Olá!
Este é o post q eu gostava de ter escrito se tivesse um blog e a resposta que eu gostava de dar a algumas pessoas que me chamam mãe-galinha (n, n é um elogio...) - até o nome se adequa pq nós também temos um Gabriel lindo e demasiado pequenino para viver em função do ritmo dos adultos... ele é que marca o passo, e quem n achar bem... temos pena! O bem-estar dele é a nossa prioridadee e sempre que sinto que o posso estar a "atropelar", sinto-me cheia de remorsos!
Bjs

Melissinha disse...

Sabem o que eu digo? Somos todas umas (mães-)galinhas, hehe.

Dou as boas vindas às que chegaram aqui pela primeira vez, voltem sempre!

E Ana (do Gabriel), faz o teu blog! É tão bom ter o registo depois, eu adoro ler posts antigos de vez em quando.

Mulher a 1000/h disse...

Olha, é assim mesmo! Gostei da sinceridade e identifiquei-me! ;)