domingo, 20 de março de 2011

O mais terno dos hábitos portugueses

Para mim é o das mães da geração anterior à minha (nossas mães, portanto), nos encherem de comida e coisas para levarmos para casa de cada vez que fazemos uma visita: é batatas e azeite, fruta, comida feita, alguma coisa que tenham encontrado em promoção, bolachas, papel higiénico e o que mais encontrarem pelo caminho entre a despensa e a porta de saída.

Que maneira linda de continuar a cuidar das crias debandadas do ninho.

Eu, que já não tenho mãe e que tenho pai longe, adoro quando a Lurdes nos enche de saquinhos lá em casa. Da minha parte, tenho fazer o mesmo pelo meu irmão, mas ele é arredio. É arredio! Não leva nada daqui. Só come, o puto.

4 comentários:

Irina A. disse...

E eu acho lindo tu seres mãe do teu irmão :)

Melissinha disse...

haha ele não acha piada nenhuma.

Ana C. disse...

Ahahahaha, a minha mãe, se for preciso pede-me para eu lhe levar comida.
Mas sim, é um ritual muito doce.

Melissinha disse...

Cê, tava à espera do teu comentário. :)