segunda-feira, 1 de dezembro de 2014

I don't "like" things, I obcess

Igreja de São Luís dos Franceses: não só nunca tinha lá estado como nunca tinha dado por ela, mini mini, super discreta e ainda francesa after all these years. Fomos ver um coro africano, lindo, e decidimos ficar para ver o concerto a seguir simplesmente porque estávamos na primeira fila e seria muito difícil passar pelo monte de gente até chegar à porta. Não conhecíamos a cantora, mas sem problemas, porque estava quentinho, estávamos sentados. E que bom que ficámos, que bom golpe de sorte tivemos em ter lá ficado. A música era mágica, fantasmagórica. A cantora, misteriosa e linda. Houve uma canção em que fechei os olhos e vi o Oscarizável a desenrolar-se à minha frente. O Hugo deu-me uma cotovelada, julgou que eu tivesse adormecido.

Mas não é pela Johanna Glaza que fiquei obcecada, não senhores. Ora bem, se repararem, não descrevi minimamente a igreja de São Luís dos Franceses, além de dizer que era pequena. Isso porque não reparei mesmo nos pormenores. E não reparei nos pormenores porque, diabo, sentei-me em frente a isto.

Ora bem, primeiro li, fiz umas contas de cabeça. Casou aos 18, morreu aos 31. Tudo bem. O viúvo encomendou a placa informativa (na falta de termo melhor: de certeza que existe).
Cinco minutos depois, ainda durante o coro africano, já me perguntava de que teria morrido a Condessa de Chambors. Porra, 31 anos é novo até para a altura. A placa não fala de filhos. Cotovelada do Hugo, ouve a música.
Dez minutos depois, já procurava o túmulo da Condessa debaixo do meu banco, pois os bancos ficam por cima dos túmulos. Nada, são ilegíveis. 
Quinze minutos depois, googlava discretamente o nome gigantesco da condessa. Nenhum resultado, vou voltar a tentar agora.

No fim de tudo, já andava à procura no placard da igreja com quem é que podia falar sobre a Condessa. Também não encontrei. Desespero por um dia de folga durante a semana para ir falar com o padre ou algum sacristão ou o que valha. Preciso de saber de que morreu a Condessa, tão nova. 

Preciso, a sério.  

Update quase imediato: encontrei isto, mas ainda não sei de que morreu a senhora. 



7 comentários:

Want Lisbon House disse...

Tuberculose?

Melissinha disse...

Provavelmente, né?

Melissinha disse...

Estava numas românticas de que teria morrido no parto, mas não. Teve uma filha que nasceu bastante antes.

gralha disse...

Nos registos paroquiais deves conseguir mais informação. Vai lá ver, que nós ficamos aqui à espera.

Melissinha disse...

Já descobri mais algumas coisas com a ajuda do google translator, mas nada sobre a senhora, só sobre o marido.

hugo lyra carvalho disse...

o momento:
https://www.youtube.com/watch?v=Ap9zHHQ1wl8

Amigo Imaginário disse...

Se tiveres problemas em perceber algum documento em francês, eu traduzo... também fiquei curiosa! ;)