terça-feira, 2 de junho de 2015

Curtíssima sobre... o quê, mesmo?


Sim, não me lembro de um momento na minha vida em que não estivesse a queixar-me de cansaço, mas caramba, não. Isto é cansaço, isto que sinto agora. Não me lembro de nada. Estou reduzida a um nível ridículo de funcionamento mínimo, onde me esqueço do antibiótico do meu filho, de despachar trabalho, do que valho como pessoa. O cansaço, o verdadeiro cansaço, deturpa-nos os dias e desumaniza-nos, ou antes, desumaniza-me; neste momento em que vos falo não me sinto 100% gente, sinto-me um poço de desânimo e culpa.

O resto é um vazio enorme e sonolento, de pestanas pesadas e reticências entre palavras. 

6 comentários:

Ginguba disse...

Oh :(

Toma umas vitaminas,costuma ajudar...

gralha disse...

Infelizmente não posso partilhar a minha energia mas mando um abraço e desejo que possas descansar em breve. Como deve ser.

Amigo Imaginário disse...

Se quiseres uma casa com quintal na segunda metade do mês de Julho, a minha está à disposição. O carro também aqui fica. Espreita os voos low cost... :) E força, Mel! <3

Melissinha disse...

Mais uma semana, moças!*** Obrigada.

Ana. disse...

E no entanto conseguiste encontrar genica para me escrever o melhor e-mail que recebi (e que melhor me fez, acho que nem sabes quanto) nos últimos tempos...
Também não tenho energia para te dar, mas tenho o abraço mais apertado do mundo!

:)

Melissinha disse...

Abraço é bom, é sempre bom :)

Como é que se diz? Não há bem que sempre dure nem mal que nunca acabe.
Mó de cima, mó de baixo.