sexta-feira, 12 de março de 2010

Steinway & Sons

Bem se sabe que agora, depois do surgimento do Gabriel, dinheiro é coisa que não abunda. Por outro lado, para além do dinheiro, o tempo é outro bem que nos vai escasseando. Entre um e outro, a falta de tempo é talvez aquele que mais nos dói na alma. Estamos menos com amigos, vamos menos a espectáculos culturais e nem sequer conseguimos ter jantares românticos a dois. Quer dizer, não tínhamos, porque agora, precisamente um ano depois, a criatura minúscula que se arrasta pelo nosso chão e acorda a que horas quer, vai dando sinais evidentes que, afinal, o investimento pode começar a ter algum retorno.
Recentemente o meu pai ofereceu-lhe um pequeno piano infantil para que ele se entretenha enquanto nós, pais, fazemos as lides domésticas com afinco. A ideia era cuidarmos da casa sem sermos interrompidos pelas súbitas carências afectivas do bicho. Paralelamente, a oferta do piano serviria também para lhe desenvolver o gosto pela música. Nada se mostrou mais acertado do que esta singela e aparentemente inofensiva oferta. Colocámos o piano no parque e agora, mal atiramos a fera para lá, esta gatinha decidida para o instrumento e começa a tocar com os seus minúsculos dedos nas teclas. Portanto, todos aquelas tarefas caseiras aborrecidas como varrer o chão, limpar o pó ou dobrar a roupa têm agora um som de piano por trás que muito nos alegra e aquece o coração.
Imbuídos pela novidade de ter um pianista de graça em casa arriscámos um jantar romântico que tanta falta nos fazia. Fizemos a comida, desligámos a televisão, acendemos as velas e colocámos o Gabriel no parque junto ao piano. Meus amigos, foi sublime. Conseguimos estar relaxados numa amena cavaqueira a falar da vida e do amor ao mesmo tempo que uma balada preenchia a nossa sala dando vida a uma família que por vezes anda mesmo muito cansada. Depois do jantar e aproveitando a inspiração do pianista, ainda me senti tentado a outros voos mais picantes, mas ela, maricas, não acompanhou o desejo.
- Com ele acordado nem pensar!

8 comentários:

Marta disse...

Sorte a vossa que o piano não traz um microfone incorporado (acabava o vosso sossego de vez). O meu canta a plenos pulmões "oooooohhh oooohhhh" ao som de um dos ritmos pré-gravados que ele já sabe por a tocar, e ai de quem lhe tirar o microfone das mãos... faz uma birra monumental. Mas no fim de contas ficamos babados de o ver tão interessado e compenetrado na música :)

Hugo Carvalho disse...

este felizmente nao canta. só toca. Mas até toca bem!

Precis Almana disse...

De pequenino se torce o pepino! Ou se treinam os dedinhos!

Ana C. disse...

Espera só até eu oferecer uma bateria ao Gabriel :)

Melissinha disse...

olha alguém a esquecer-se de que tem um puto mais novo a quem podemos retribuir favores.

Mãe da Tiz disse...

LOL LOL LOL!

Beijos***

Bailarina disse...

eheheh! só vcs!

mm disse...

Lindo!
Que bela família.