quinta-feira, 26 de dezembro de 2013

O desejado fim do culpossauro

A única coisa urgente a mudar em mim é a necessidade de ter sempre algo urgente a mudar em mim. Mesmo assim, há, sim, uma coisa urgente.Chamemos-lhe Coisa Urgente a Mudar em Mim Nº 2 (sendo a número um a necessidade de ter sempre algo urgente a mudar em mim).

Deixar de ser o culpossauro. É que vocês não fazem ideia das responsabilidades que reclamo para mim. É ridículo. E pesadíssimo. E causam uma ansiedade brutal, porque se há alguma coisa, qualquer coisa desequilibrada à minha volta, num raio bastante razoável de adultos, a culpa é minha.  Caneco, como estou cansada disto. E vem tudo de mim, ninguém me faz sentir assim (até onde percebo).

Às vezes pergunto-me freudianamente se será mais um mother issue a somar-se aos demais, ou se acho toda a gente à minha volta incapaz de cuidar da própria felicidade. Ou se acho que sou Deus, capaz de trazer a bonança sempre. Se é o sentir-me a única adulta de dois irmãos, um marido e um filho, ou seja, toda a minha família por cá (injusto com eles). Ou se apenas me acho tão fundamentalmente errada que, enfim, a culpa só pode mesmo ser minha. Estou inclinada a pensar que é o último.
Xô, culpossauro! Quero ser o quesefodossauro.

11 comentários:

Ana. disse...

Hahaha! Quesefodossauro é muito bom!
Eu faço manada contigo, queres?!!
:)

dona da mota disse...

E acha o meu filho mais velho que conhece os dinossauros todos, este é o melhor, acabadinho de descobrir, digno de museu, muito bom, mesmo! :)

gralha disse...

Apesar de seres do mais parecido com Deus que há por aí, arrisco uma explicação alternativa: será que nos sentimos culpadas por tudimaisalgumacoisa porque, pelo menos, isso nos dá algum controlo sobre o que se passa? Porque abdicar da culpa é abdicar da capacidade de fazer de maneira diferente (e isso é que era o descalabro). Mas isto posso ser só eu a puxar a brasa à sardinha do meu Controlossauro.

Melissinha disse...

Gralha, provavelmente na mouche.

Melissinha disse...

E SIM, MANADA. FORMEMOS UMA MANADA.

Té Lima Pires disse...

Hahaha... quessefodossauro... hahahaha... muito bom!!! e sim concordo com a Gralha....

Cátia Maciel disse...

Yap. Controlar e sentimento de estar sempre prestes a ser apanhada com a boca na botija - que é o mesmo que leva a procrastinar. Se não sou culpada a priori encontro forma de vir a ser.
Já exploraste a via da mulher mártir? Metemos na cabeça que ser mulher-mae-responsável é ser sofrida e quando não temos pesos suficientes vamos procura-los fora, para não destoar no figurino da Senhora-de-bem que queremos ser.

Melissinha disse...

Adorei, Cátia. Vou voltar a ler sobre as vias, mas sim, na altura em que li já me parecia ser a mártir (querendo muito ser a bruxa).

Mafalda disse...

revi-me tanto neste teu post Melissa.*

Naná disse...

Isto é que é elevar a fasquia: quesefodossauro! Venha ele!

Amigo Imaginário disse...

Ó pá, ó pá... já mandei vir um quesefodossauro cá para casa! Beijinhos grandes (não que vá a lado nenhum, só porque me apeteceu mandar um beijinho)