domingo, 1 de março de 2009

Update - amamentação

Agora, depois de afastado o stress, o puto anda a pegar a mama durante 5, 10 minutinhos antes do biberão.

O Hugo perguntou-me outro dia: porque é que não tentas tirar o leite e dar-lhe no biberão? Ora, a pergunta desarmou-me. Não tinha pensado em tal coisa. A resposta caiu-me como um tijolo na cabeça no segundo a seguir: não tinha pensado em tal coisa porque queria dar o peito, não o leite. Ou seja: era algo que, em última análise, estava a tentar POR MIM.

Foi um momento duro e fundamental.

Tenho um filho no percentil 5 de peso, as prioridades tiveram de mudar. Ao mudarem, por incrível que pareça, ele lá me está a fazer o gostinho de me permitir a experiência do aleitamento. Sem crise, sem choro, sem expectativa.

6 comentários:

Humildevaidade disse...

Ainda bem mesmo!! Apesar do meu Martim beber suplemento desde 1 mês de vida, consegui dar mama até aos 4 meses... durante a noite. Estava mais tranquila e sabia que podia ir buscar um biberon a qualquer altura.

*** Felicidades
Vera

Um pedaço de azul... um BloGui diferente disse...

Se me permites contar um pouco da minha história: às duas semanas de vida o Gui não quis mais o meu peito. Nunca descobri a causa. Chorei, porque tal como tu queria dar o peito e não só o leite... contudo ele não queria mesmo puxar... resultado. Estive 5 meses a sacar leite de duas em duas horas de dia e de noite, esterilizar máquinas e biberons... mas bebeu exclusivamente do meu leite. Cansaço? Imenso. Se valeu a pena? Sim, valeu... acho que sim.
beijos e não desistas.
beijos

Márcia disse...

Olá,

Fico feliz por saber que as coisas estão a melhorar! É sempre bom saber das boas novidades dos blogs que seguimos…

Também concordo que o que se escrevo e o que se diz acerca da maternidade/paternidade é muitas vezes demasiado cor-de-rosa. Quer seja pelas hormonas (totalmente necessárias), pelo deslumbramento (obviamente natural) ou simplesmente pela desejabilidade social (a pressão social é enorme), normalmente não tem ligação directa com a realidade.

No caso dos bebés, quer seja porque não lidamos com bebés pequenos o tempo suficiente para nos apercebermos de certas coisas, quer seja porque pensamos que connosco vai ser diferente (e todos pensámos assim) ou simplesmente porque a vontade de ter um/uma filho/a ofusca tudo isso, tendemos a minimizar os pequenos/grandes pormenores que nos assustam/intimidam e depois o confronto com a realidade é atroz…

Mas melhora e também piora e depois volta a melhorar e há dias em que é terrivelmente pior e outros fabulosamente fantásticos…E é mesmo assim, uma aprendizagem feita dia a dia, quando não é hora a hora ou segundo a segundo…Lol

Quanto à amamentação, connosco correu bem desde o 1º segundo, mas como tudo na vida tem vantagens e desvantagens e mais uma vez os panfletos pro-amamentação dão um imagem demasiado cor-de-rosa e irrealista da amamentação. É um processo que exige aprendizagem, tempo e paciência para se entrar em velocidade cruzeiro, depois dos momentos iniciais, a maior parte das vezes complicados, torna-se num processo natural e espontâneo. E vale muito a pena persistir!!!

Beijos grandes,
Márcia

P.S.: sorry for the long test!!! I hope it helps…

Elisabete disse...

Olá, linda. Tenho andado muito afastada do teu blog e só agora vim dar uma vista de olhos. Nunca fiz qualquer comentário, mas hoje vou dizer qualquer coisita.
Ainda bem que tudo está a correr melhor, no que respeita à amamentação.
Durante todo o crescimento do Gabi te vão surgir situações que não consegues controlar, nem resolver com facilidade. Vais ter dúvidas a toda a hora e receios também. Vais achar que não és a melhor mãe do mundo e que, infelizmente, nem sequer és uma boa mãe. Mas, depois, vão aparecer amigas, como tu, com quem podemos falar e que nos vão dar opiniões que valorizamos e que, por estarem de fora, têm uma visão muito mais simplista, digamos, do que se passa. Nós temos tendência a transformar um problema minúsculo num problema monstrusoso, mas isso só acontece, porque estamos empenhadas, verdadeiramente empenhadas e isso é bom e, no fim, é só isso que os nossos filhos esperam de nós. Que nos empenhemos neles e que os amemos. E isso é o que nós sabemos fazer melhor.
Beijinhos muito grandes para todos, Beta

Melissinha disse...

olhá betita. Linda.

Margarida disse...

Eu fiz isso como te disse no outro comentário. Tirava e dava-lhe no biberão intercalado com suplemento porque a quantidade não era suficiente.
Não é fácil. Mas por nós e por eles vale a pena. Até conseguirmos. Quando passar a sofrimento acho que deves parar.
beijinhos