terça-feira, 17 de março de 2009

Cara a cara

Sob a luz do meio dia que entrava cómodo adentro, nós defrontámo-nos pela primeira vez em muito, muito tempo. Ela olha-me de soslaio, sem querer gastar olhar comigo. Não me mereces, parece dizer. É o que eu, angustiada pelos tempos de ausência, oiço.

Ainda dou meia volta para sair, olhos postos no chão, indigna. Oiço a sua gargalhada, os seus comentários: "Olha-me aquela a pensar que... Meu Deus, nem consigo dizer o que queria ela, de tão absurdo. Vocês não acreditariam..." E gargalha o seu gargalhar novamente. "Mas quem era aquela", perguntam-lhe, "Uma pobre diaba", responde, "com expectativas muito altas. Igual a todas, portanto, não vale a pena, ignorem-na, ela vai encontrar o que procura noutro lado." E muda de assunto.

É aqui que ergo ligeiramente os olhos do chão. É aqui que surge uma voz dentro de mim que diz "vira-te, tu consegues". Eu tento ignorar a voz, mas ela insiste. "Vira-te. Enfrenta-a. Tu consegues."

E foi o que fiz. De indigna a indignada, voltei-me e agarrei-a com força, não a deixando abrir a boca. Com coragem, fiz o que tinha a fazer há já algum tempo. Humilhando-a, domei-a como a domara há tempos. Triunfei.

Foi assim que vesti as minhas calças pré-gravidez e elas fecharam.

8 comentários:

manue disse...

wow! fecharam! parabéns ;)

Tropezinha disse...

Uau!!! Que texto tao bom! ;)

Ana C. disse...

Ah Ah Ah
Estava a ver onde é que este relato iria levar. Por momentos pensei que ias esganar alguém e não um simples para de calças...
Vê lá se não dispara o botão das calças e atinge o Gabriel :)

Márcia disse...

Boa, parabéns!!! É realmente uma vitória caber de novo na roupa pré-gravida.

Beijos grandes,
Márcia

Hugo Carvalho disse...

Aleluia!

Patrícia disse...

Pois relamente isso é um feito, as minhas dó fecgharão daqui a uns belos mesitos!

Melissinha disse...

Convém dizer que eu não usava propriamente o 34!

Patricia disse...

Muito engraçado o relato!