sexta-feira, 29 de maio de 2009

Inspiração para coisas boas

Este foi um dos melhores filmes que vi nos últimos anos, sem ponta de exagero.
E porque é sempre interessante ver de onde se sacam ideias para fazer coisas originais, deixo aqui a entrevista que a TimeOut publicou com o realizador, mal digitalizada como o caracinhas.

3 comentários:

Ana C. disse...

Arranjas-me o filme?
Mas espera lá, tu gostaste do Austrália, não sei se confio em ti...

Melissinha disse...

Os motivos porque não gostaste do Austrália são os mesmos pelos quais o adoro! É assim o Baz, um bocado como Tim Burton. Ou se entra no jogo e se AMA ou então pede-se o dinheiro de volta.

Eh pá o Deixa-me Entrar é um portento! Original e sensível ao extremo, um poema em forma de filme.

Eu empresto-te, mas se fosse a ti via no cinema. Vi em casa porque não sabia que ia estrear, aliás, vou ver outra vez em grande ecrã, é daqueles que merecem mesmo.

Célia disse...

Fiquei curiosa! Tenho de ir investigar e ler o artigo.
Beijos