segunda-feira, 29 de junho de 2009

Carvalhinhos com rabo na boca

Ele voltou a ter um mês de idade, ou seja, voltou a acordar de três em três horas de madrugada, esganado de fome, porque não come bem de dia.

Ora bem, a melhor maneira de fazer com que durma mais horas seguidas é tirar-lhe gradualmente os biberons da madrugada, mas ele berra.

Para conseguir fazer isso, teria de aumentar a comida durante o dia - mas ele recusa.

Não come durante o dia, come durante a noite, come durante a noite, não tem fome durante o dia, e assim seguimos, alegres e contentes.
(Pelo menos ele, que alegria e contentamento não lhe faltam: entretém-se com a fralda de pano horas seguidas, sempre a fazer imenso barulho que é para eu saber que está vivo.)

(A dormir de dia, pois claro.)

4 comentários:

Célia disse...

Pois é, o pequeno está todo trocado. Tens de o acordar durante o dia, não o deixar dormir tanto, senão nunca mais regulariza isso. Sei que falar é fácil e que é uma tarefa árdua, mas é o melhor (penso eu).
Ele é lindo! Parece um anjinho nas fotos, ninguém diria que dá trabalho.
Beijos
Célia e Afonso

Ana C. disse...

Eu não quero, não posso, não devo ler estas coisas. Onde é que está um babyBlog cujo bebé em questão seja perfeito? Só posso ler isso. Ou então vai escrevendo aqui como o Gabriel é maravilhoso durante o dia, inventa.
A hormona do esquecimento não existe em mim...

Cat disse...

Oie,
Pelos vistos tá complicado...Acho que a Célia tem razão, acordá-lo durante o dia para ele perceber que o dia é para comer e brincar e a noite é para dormir...
Olha o barulho com o pano, é quando quer dormir e não consegue, pegue na fralda de pano e faz uma barulheira enorme que não deixa dormir ninguem ao lado? Se for isso, tenho o mesmo género cá em casa, e é irritante!
Boa sorte e bjs
Cat

Melissinha disse...

O problema aqui claramente não é o sono, mas sim, a fome. Ele de bucho aviado não acorda. As longas sestas durante o dia só são consequência da tal larica nocturna.
Ontem foi o mesmo: larica à uma, larica às cinco.
Podia ser pior, sim.