domingo, 18 de setembro de 2011

Curtíssima sobre o que me faz pensar "ainda bem que não ando armada"

Pessoas que, no cinema, mas principalmente no teatro, se riem em momentos altamente inapropriados. Não se pode fazer um único trocadilho, não se pode dar um cheirinho de sarcasmo que o povo começa logo a HAHAHHAHAHHAHAHAHAHA, quebrando o silêncio que a cena exigia. Mas essa gente tem de se rir SEMPRE? Caramba, já levámos com gargalhadas em cenas de pedofilia (juro por Deus. Nesta peça).

Era trancá-los todos ali no Parque Mayer e deitar a chave fora, para toda a eternidade.

(Tinha escrito "gentinha ignóbil que não merece viver". A sério).

2 comentários:

Naná disse...

Como te compreendo!
E quando encetam a gargalhada e aquilo nunca mais acaba?!

Melissinha disse...
Este comentário foi removido pelo autor.