terça-feira, 27 de setembro de 2011

etiqueta 101

Há poucas coisas tão pavorosas quando, deparada com a notícia da morte de um filho/mãe/pai ou qualquer outra notícia devastadora, a pessoa responde que não sobreviveria, que morria, que matava, que enlouquecia.
Hello? Aconteceu à pessoa que vos falou, essa cabra sem sentimentos que sobreviveu, não morreu, não matou e não enlouqueceu.

Mais empatia e mais nível, senhores.

16 comentários:

gralha disse...

Realmente...
(as pessoas têm tanta, tanta dificuldade em lidar com a morte - mas isso não desculpa nada)

Melissinha disse...

Nah, isso é mesmo daquelas respostas imbecis a quem não ocorre nada melhor. É quase frase feita. "Não sei o que faria". Farias o mesmo que todo mundo faz, obviamente. Seguias em frente.

Mas não é só na morte que dizem isso, já ouvi sobre perda de emprego, ganho de peso, crise no casamento entre muitas outras.

Marina disse...

Eu não sei mesmo o que faria em caso de morte de um filho. As pessoas não lidam todas da mesma maneira com a morte e há pessoas que não conseguem mesmo seguir em frente. Se são fracas? Deixá-las ser. Tu foste forte? Parabéns.
"Não sei o que faria" é tão frase feita como "sê forte, tens de seguir em frente, a vida continua..." A vida está cheia de frases feitas porque na verdade já não há quase nada que não tenha sido dito.

Naná disse...

Eu sobrevivi à morte dos meus pais, mas sinceramente não sei se conseguiria fazê-lo se o meu filho morresse. Exactamente por saber a dor que é perder um pai e depois o outro, sei que a dor de perder um filho seria infinitamente maior...
E a Marina tem razão, é tão frase feita como o "tens que te resignar, a vida é mesmo assim, tens que ser forte, tens que seguir em frente!" como tantas vezes me repetiram...

Rita disse...

Não gosto de frases feitas, sejam elas no sentido positivo ou negativo.

Somos todos diferentes e cada um tem tem a sua forma de reagir.

Sofia disse...

Não sei se era capaz de sobreviver caso acontecesse alguma coisa ao Miguel. Sofreria muito se perdesse os meus pais ou o meu marido, mas provavelmente seguia em frente, agora ao miguel...não sei não Melissa. Perder um filho, ainda para mais quando é pequeno e é o único (com mais que um tens outros fios que te agarrem à vida, que te obriguem a seguir em frente)...
Também partilho a opinião dos outros, são frases feitas e muita gente di-las da boca para fora, mas olha que há circunstâncias em que essas frases são de facto sentidas.
Bjs

Ana C. disse...

O que eu acho cretino é dizer frases feitas a quem sofre uma perda assim. Guardemos para nós essas reflexões e cogitações sobre o que sentiriamos se...
Penso muitas vezes nisso em relação aos filhos e é claro que sinto que não suportaria, que enlouqueceria e outras tantas coisas. Mas jamais me passaria pela cabeça dirigir este pensamento a quem tivesse sofrido uma perda.
Fico sempre sem palavras.

Melissinha disse...

Eu não falo do sentimentos, senhoras, falo de os dizer em voz alta a quem acabou de acontecer a calamidade.

Melissinha disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Melissinha disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Melissinha disse...

CLARO que eu ficaria louca se o meu filho tivesse um cancro. Ou então não. Certamente não o vou dizer à minha amiga que tem a filha com cancro. Dizer-lhe que Eu enlouqueceria enquanto ela aguenta o barco firme implica claramente que amo mais o meu filho do que ela ama a ela. E não amo. Quando muito, enlouquecendo seria uma mãe muito pior do que ela.

Enfim, mais atenção ao que é escrito e leiam duas vezes em caso de dúvida.

Ginguba disse...

Melissa, não sei se é uma frase assim tão descabida. Quem já passou por perdas sabe que não tem outra opção senão seguir em frente, mas aquelas pessoas que tiveram a felicidade de nunca passar por um tragédia, essa frase apenas significa que compreendem a enormidade da dor e admiram a outra pessoa que a aguenta. É uma frase feita sim, mas eu não lhe dou essa conotação de falta de etiqueta. Nessas situações nunca sei o que dizer e opto por ficar calada. Mas já me disseram que sou mal educada por isso...

Marina disse...

Então o que é que achas que se deve dizer? "Força, a vida continua"?
Eu acho que se deve apenas dar mimos à pessoa, fazer-lhe companhia se ela o desejar e dizer que se precisar do que quer que seja é só pedir.

Melissinha disse...

Acho que não se deve dizer que morria se estivesse na mesma situação. Acho de uma cretinice terrível pelo motivo que já disse. Digam tudo, menos isso.

Sofia disse...

"Dizer-lhe que Eu enlouqueceria enquanto ela aguenta o barco firme implica claramente que amo mais o meu filho do que ela ama a ela. "
Eu quando digo essa frase não a digo com essa conotação, muito pelo contrário. Digo-a no sentido de "tu és muito mais forte do que eu e admiro-te por isso, estarei aqui ao teu lado".
Por acaso nunca tinha interpretado essa frase desse modo.
Nos dias que correm é tão dificil receber algum carinho ou empatia pela parte do outro que eu acho que devemos aceitar o que nos dão, acreditando que o fazem com a melhor das intenções.
Bjs

Naná disse...

Ok, agora percebi o sentido em que escreveste e não podia estar mais de acordo contigo! É mesmo uma cretinice dizer isso a alguém que está a passar por uma situação difícil... é de uma insensibilidade descomunal!