terça-feira, 10 de janeiro de 2012

Instinto e educação

Desde que me entendo por gente que tenho medo de dormir sozinha. Quando era criança, estava sempre a escapulir-me para o quarto da minha mãe até me instalar lá definitivamente. Papai vivia fora, vinha de quando em quando e, quando vinha, lá era eu despachada para o meu quarto. Passava a noite a cantar aos berros e a rezar ave-marias para espantar os bichos todos. Das sensações boas que melhor me lembro da minha infância é quando eles finalmente cediam e eu podia ir para a minha rede no quarto deles. Lembro-me que os medos iam calando, um a um, impotentes. O corpo relaxava, cedia, e eu adormecia cansadíssima.

(Passou, naturalmente. Mas quando o Hugo, por um motivo ou por outro, chega mais tarde, o meu sono ressente-se).

Hoje, o meu filho adormece na sua cama e, lá para as três da manhã, acorda e vem para o meio da nossa. Recebemo-lo sem resistência. E nós três dormimos, assim, o melhor sono da noite, o sono dos protegidos. Mesmo com encontrões, pontapés, tosse. E acordamos mais ou menos juntos, a família toda.

Não há pediatra ou psicólogo no mundo que me consiga convencer de que o relaxamento que sinto ao dormir a dois ou a três seja errado. É o meu corpo que me diz que está certo. Disse-mo desde sempre.

E o do meu filho diz-lhe o mesmo.

5 comentários:

Naná disse...

E não há nada de errado nisso!
No meu caso, detesto comer refeições sozinha...

Dani disse...

Eu deitava-me no tapete do quarto dos meus pais, só para não estar sozinha. E mesmo agora, com 31 anos detesto dormir sozinha. Também o meu filho dorme connosco a maior parte das noite e sinceramente eu gosto. Gosto de o abraçar, de o sentir ali protegido. Agora vem um irmão ou uma irmã a caminho e a cama para 4 é capaz de ser pequena, mas acho que tudo se arranja. ;)

Ana C. disse...

Eu confesso que não gosto muito de dormir a noite inteira com a cama lotada.
Mas quando chove e troveja como tudo, estarmos os 4 na cama de manhã cedo, é das sensações mais reconfortantes do mundo. Ali, nada de mal pode acontecer, é o nosso círculo de paz :)

Ginguba disse...

Quando a minha filha vinha para a nossa cama, e vinha muitas vezes, eu deixava. Aconchegava-a entre nós e ela dormia tranquila. Ela e o pai dormiam tranquilos. Eu...Não pregava mais olho! Adoro estar na cama acompanhada. Para ler, brincar, namorar, mas só consigo dormir bem sozinha. Nunca fui criança para ir dormir com os meus pais. E se não fosse o meu marido fulminar-me só com a ideia, era menina para ter duas camas!

Melissinha disse...

Ginguba, a Betty e o Barney dos Flintstones tinham duas camas :D