quinta-feira, 12 de janeiro de 2012

momentos de desamparo

Quando leio notícias assim pergunto-me quão mais criativos, resilientes e positivos teremos de ser para continuar de pé.

Sabem aquelas simulações de subida de juros que fazem nos créditos? "Isto é a prestação atual, esta é com uma subida de 1% nos juros, esta, de 2..." Estou a compor uma tabela de tópicos para um cenário de crise 1, 2 e 3. Onde cortar, como substituir, para onde fugir no caso de as opções anteriores falharem.

Sou corajosa na maioria das vezes, mas há outras, menos, sim, em que bate a cagunfa. E quando bate a cagunfa, bate forte e feio.

3 comentários:

Ginguba disse...

E já viste as notícias sobre a Grécia? Não é certinho, direitinho que aquilo se vai passar aqui? Cagunfa é o termo!

m.a. disse...

estou igual Mel, só faço contas à vida e vivo na maior contenção possível, tremo só de pensar em aumento das taxas de juro e de gasolina, sinto que a minha qualidade de vida diminuíu em tudo e não prevejo que a coisa melhore nos próximos tempos... tenho andado com uma neura brutal, brutal, porque - tal como tu - quando me bate, bate forte e custa a passar.

Mariana disse...

É preciso criar planos de contingência para deixar de usar gasolina e reduzir ao máximo o gás e a electricidade. Acredito que, para muitas pessoas, isso signifique mudar de casa.