quarta-feira, 18 de janeiro de 2012

A minha caderneta de cromos parte 3

Enquanto vocês tinham... *não faço ideia, Wham?*, nós tínhamos os Menudo.

Meu Deus, os Menudo.

Cinco miúdos de 13 anos a vestir collants de corres berrantes que me arrastaram aí aos 8, 9 anos de idade para uma adolescência tão precoce quanto fulminante. Estávamos todas, TODAS, na 3a classe, apaixonadas por um menudo ou outro. E sabíamos o seu signo, cor preferida, prato preferido, de que localidade minúscula de Porto Rico eram.

Tornámo-nos especialistas em Porto Rico.
Tornámo-nos especialistas em amor.
Falávamos espanhol.
Íamos casar com o nosso Menudo preferido.

Claro que, na altura, não fazíamos ideia - e nem nos interessava tampouco - que fosse uma banda completamente artificial, que trocava sem apelo nem agravo os seus componentes mal começavam a mudar a voz. Para nós, eram simplesmente a melhor coisa do mundo e mexiam com os dois dedos de hormonas que podíamos ter naquela idade. Sonhávamos acordadas, tínhamos as lancheiras e a caderneta de cromos. As poucas que já tinham vídeo em casa, gravavam as aparições em programas de auditório.

Passaram-se quase 30 anos e continuo ouvindo aquilo no youtube com muito gosto - e confesso que gosto muito de algumas canções, especialmente das letras. Eh, pá, gosto mesmo das letras. Vejam lá esta descrição do primeiro amor, como é spot-on:

No tiene cuerpo ni se puede tocar
y la vieron cruzando el cielo
Llega de pronto, llega sin avisar
como flecha de buen arquero
Cuando te toca, quema toda tu piel
como rayo que funde el hielo
No tiene cuerpo ni se puede tocar
y la vieron cruzando por mi calle

E agora, para acabar de lixar qualquer réstia de reputação que ainda pudesse ter, o vídeo que me tirava o fôlego:




E não perdoo nunca, NUNCA, papai não me ter deixado ir vê-los ao Castelão. Mamãe já tinha dito que sim e os oito mil cruzeiros iam sair da minha mesada (sair, como quem diz: seriam uns três meses de mesada).

UPDATE ESPECIALÍSSIMO:
Foi quando ouvi Rayo de Luna pela primeira vez que tive a certeza de que eu seria a futura Mrs. Martin. Topem lá a carinha. Quem diria, meu Deus. Suspiros.


"Cuando besa dice primero:
-Beso tus labios porque te quiero".

é MUITO romântico.

5 comentários:

gralha disse...

Acertaste: nessa altura encomendava eu à minha prima cartas de amor ao George Michael. Que raio de inclinação para panisguinhas que nos foi sair :)

Melissinha disse...

Quando ouvi o Ricky Martin a cantar Rayo de Luna, tive a certeza de que o meu coração seria dele para sempre.

hahaha somos moças de pontaria.

Vou pôr o vídeo no post, para entenderes.

Ana C. disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Ana C. disse...

Esta troupe faz os Wham parecerem uma banda de trash metal.
Aposto o meu dedo lindinho como ainda os ouves aos suspiros.

Melissinha disse...

Acabei de o fazer :) ai ai.

Puppy love, Casaca.