terça-feira, 5 de março de 2013

A angústia

Hoje disse-lhe que ia dizer à educadora que ele ainda usa a chucha para dormir, pensando que ele ia desatar a rir. Mas não. Ficou nervosíssimo.

"Assim vou voltar a ser pequeno, mãe. E quero ser grande, quero ser assim (mostra com a mão), quero ser do tamanho do Manel. Não quero ser mais pequeno, mãe, quero ser grande".

E assim continuou. Fiquei a olhar aqueles 95 cm de gente meio atónita. Olá, ego do Gabriel, é um prazer conhecer-te.

Portanto, agora temos aqui dois problemas: o primeiro é ir pôr as chuchas à árvore das chuchas, para que ele se livre de uma vez por todas daquilo que, na cabeça dele, o impede de crescer. E o segundo é arranjar uma estratégia para fortalecer a auto-estima de um baixinho. Ele é baixinho, saiu a mim. Tenho 1,52 m, devo ser um P5 de altura, como ele. Nunca foi um problema para mim, mas sei bem o que é deixar que uma característica física nos defina - como cria um nó praticamente cego. Porque sei como é isso, quero desfazê-lo já. Nem cedo nem tarde, mas no momento em que o problema apareceu. Já.

Não sei bem é como. Alguém tem experiências a partilhar?

28 comentários:

Naná disse...

Melissinha, o meu filho sempre esteve abaixo do tal percentil 50 e era mais pequeno que os demais. até que de repente começou a crescer e agora está mais alto que os outros... lá por ele ser pequeno agora, não quer dizer que vá ser sempre assim!

Quanto à chupeta, bem... o meu deixou-a sem grandes dramas, mas continua a ter o ursinho e a fralda para se "pacificar"...

Melissinha disse...

Naná, o Gabriel tem o meu tipo de corpo... Claro que pode dar um esticão, mas duvido muito. Não quero é que isso seja um problema para ele. De qualquer forma, é um problema a ter em atenção agora (ele é uma cabeça mais pequeno do que os outros meninos da sala e já nota).

Tá em crise, tadinho.

Naná disse...

Eu percebo isso perfeitamente, percebo a angústia de perceber que isso lhes pode afectar a auto-estima... e se tentares motivá-lo por um outro aspecto qualquer, ele pode ser mais pequeno, mas ser mais inteligente que os outros. aquela velha máxima de que os homens não se medem aos palmos... mas em discurso para criança! não sei... estou para aqui a divagar...

gralha disse...

Pensei que para o Diogo largar a chucha seria um drama: nada. Adeus e toma lá um queijo. NÓS é que ampliamos estes receios, nós!

Eu sou pequena e o meu mais novo também deve vir a ser. E então? O ego faz-se de tantas coisas, certamente que a altura não é tudo.

Melissinha disse...

Acho que não é tão claro quando temos quatro anos, Gralha. Mas pelo menos acordei para algo que está a incomodá-lo.

ouvirdizer disse...

O meu mais velho é mais baixo do que o do meio que é um calmeirão...
Quando crescerem todos o mais velho será o mais baixo e já falámos nisso, que ele um dia destes dá um pulo e cresce de repente, também é o que sai mais a mim... Como diz a Gralha nós ampliamos um bocadinho as cenas mas sim, é preciso ir falando com eles...
Quanto a fraldas e chuchas, 3 experiências:
- O mais velho nunca quis chucha (o que era um tormento quando chorava, não havia uma tampa) e deixou a fralda NO DIA em que nasceu o do meio - tinha 18 meses e nesse dia disse: "Não quero fralda", nem dia dia nem de noite. Tipo, cresceu!
- O do meio usou chucha até aos 4 anos em casa, para dormir. Nem percebi bem quando a deixou, fomos dizendo que estava na hora e de repente ele já não usava. As fralda... deixou quando nasceu o mais novo. JURO! Tinha 20 meses. Foi tudo tão natural...
- O mais novo... ai o mais novo... ora bem, tem 3 anos e 1 mês. AINDA usa fralda e chucha, esta só para dormir... Há já muitas vezes em que adormece sem chucha e vou deixando pois aguardo que deixe naturalmente. Já a fralda... acho que só nascendo outro irmão para lhe dar o clique que deu aos outros. Certo é que não sei tirar fralda aos miudos pois nunca tive que o fazer... e ele é tão macaco... tipo engraçadinho e que sabe que tem que deixar mas não lhe apetece... Claro que no verão já chegaremos ao nível vermelho, de alerta e terá mesmo que deixar... aos fins-de-semana visto-lhe cuecas e umas vezes vai à casa-de-banho, outras vezes não... e muda de roupa 3 vezes numa manhã e ponho-lhe a fralda que isto está mau para secar roupa. Mas não vou fazer disso um stress, acho mesmo que com os nossos alertas ele vai chegar lá...

disse...

Melissa para teres uma ideia faz este cálculo: (no teu caso que tens um menino)
Altura da mãe + 13 + Altura do pai. A dividir por 2.

E ficas com uma novidade para contar logo ao teu pequenino, quem sabe uma boa surpresa de que ele não vai ser assim tão baixo :)
Mas se for também não tem mal nenhum!!!

Ana C. disse...

Vou perguntar ao Hugo e irmãos, são todos baixinhos. Sei que uns irmãos lidaram melhor com isso, do que outros.
Mas a realidade é que os homens sofrem mais com isso do que as mulheres. Mas compensam com a personalidade, podes crer que sim :)
Não dês demasiada importância a esse assunto, nem à chucha, senão assumirá para ele a importância que lhe atribuíres.
Eu pensei que ia ser um drama tirar a chupeta ao António, mas foi só um drama durante 4 dias, depois passou. Não vaciles muito, eles gostam de sentir a nossa firmeza, dá-lhes pé e ajuda-os a sentirem-se mais seguros na decisão de mandar a chupeta para o caraças.
Nunca tive grande saco para as árvores de chupetas e afins. Preferi sempre usar argumentos de saúde oral AHAHAHAHAHA

Melissinha disse...

Ele anda doido pela árvore das chuchas desde que a viu. Está sempre a falar naquela merda. E, francamente, nesta altura, se ele quisesse atirar as quengas das chuchas ao Ganges, eu providenciava a viagem.

(Na verdade, não é grave: é simplesmente a nossa primeira "intervenção" - todas as outras passagens foram orgânicas, foi deixando as bebezices para trás no tempo dele, sem pressões, e correu sempre bem. Aqui a chucha é que coiso. De qualquer forma, deixá-la-á mais cedo do que ambos os progenitores, e mais não digo).

Melissinha disse...

Sobre a estatura, ele anda angustiado. Pá, anda. Não dramatizo, mas não desvalorizo. Tenho é de arranjar aqui um ponto fixe.

(É que, à baixura, temos de somar uma certa gaguez. Não é fácil, e os putos são lixados uns para os outros. E, para mim, o "é normal" e o "é assim que eles crescem" não vale, pois não acredito no crescimento pela dor.)

Melissinha disse...

Té, dá 8,12 m!

disse...

Esquece vírgulas. Na calculadora em vez de 1,60 põe 160.

Ana C. disse...

Uma palavra para o Gabriel: Al Pacino. E mais não digo :)

Melissinha disse...

hahahahaha pobrecito.

Bem, segundo as contas da Té, ele chega a 1,70. Fico contente. Vou dizer-lhe, a ver se fica mais calminho.

gralha disse...

Oh Té, então os irmãos ficam todos da mesma altura é? ;)

gralha disse...

Ó Té, ó Té, já não acerto nos ós nem nada.

Melissinha disse...

Os cunhados da casaca ficaram!

c disse...

O meu marido sempre foi o mais baixo da turma. Não sei o que a minha sogra fez para minimizar a questão, mas acho que se os colegas da turma o chateavam por isso, ela pouco poderia ter feito. E há sempre os que chateiam, mas também há sempre os amigos que não ligam nenhuma às nossas diferenças. Eis que, aos 13 anos, durante o verão, ele cresceu 20 cm, regressando à escola bem mais alto do que toda a turma (e do que ambos os pais).
De resto, a única maneira que vejo é, como sempre, servir de modelo. Não tematizar muito, para lhe mostrar que NÃO É IMPORTANTE, importante são outras coisas! O que vejo é que os miúdos são crueis uns com os outros, sim, mas depois há os amigos, que não estão nem aí para se eles são altos, baixos, usam óculos, têm orelhas de abano ou dentes de coelho, e que se defendem entre si.
Para terminar, o Gabriel pode ser baixinho mas é TÃO fofo :)

disse...

"Aquele" casal com aquela estatura terá filhos com aquela estatura...mais 5cm, menos 5cm!
Ó Gralha, não me faças perguntas difíceis :)))

P.S. - há ou havia não sei, um programa no TLC "Little People, Big World" que um casal de anões com 3 filhos, 2 tinham estatura normal (Americanos altos) e só um nasceu anão! ;)

ouvirdizer disse...

A Té vai mais à frente do que eu nisto da maternidade, não desfazendo, eis a fórmula que me ensinaram as enfermeiras do centro de saude (só me lembrei quando vi a da Té):
Altura aos 2 anos x 2 a 2cm.
Com esta fórmula, consultando a caderneta do c. saude, verifiquei que daqui a uns anos vou andar acompanhada com 3 homens com:
1,76
1,85 (eu avisei que é matulão)
1,78
E é para isto que uma mãe de 1,60 está guardada.
Os meus filhos são um galheteiro, é o que é!

ouvirdizer disse...

A ver se começa mesmo a ler antes de publicar, eis o erro corrigido na fórmula: Altura aos 2 anos x 2 + 2cm.

Ginguba disse...

Melissa, acho que o que tens a fazer é incentivar tudo o que ele mostrar interesse e possa vir a ser bom. Pelo que tens dito já fazes isso... quanto à altura dele se calhar não é assim tão importante se ele se sentir seguro! Desporto ajuda (ele faz natação não é?) e os rapazes dão sempre um salto lá pela adolescência!
Quanto à chucha, experimenta levá-lo a um dentista. Com a minha filha foi remédio santo-A dentista disse-lhe que ela ia ficar com "boca de chucha"- no mesmo dia deixou-a de lado!

Carla Barroso disse...

Ele é capaz de ter ficado mais assustado com a reacção da educadora do que propriamente com a questão de ser pequenino. Ele fala mesmo disso, de ser baixinho? Quando os miúdos falam em ser pequenos, costumam referir-se a ser "abebezados", n? Não seria antes isso, o receio de ser visto como bebé pela educadora e eventualmente pelos colegas de sala?

mamacris disse...

ora bem , vamos la ver se a minha experiencia ajuda. O meu menino agora de cinco anos tem pais altos, mas devido ao seu fraco apetite eh muito magrinho e praticamente o mais baixinho na sala dele. Eh muito activo e saudavel, mas inspirou-nos sempre muitos cuidados por esta razao. A juntar-se a isto pk ele nasceu em Junho acaba por ser um dos mais novos.
A medica diz-nos k nao ha razao para nos preocupar-nos mas o k eh certo eh k isto me deixa muito ansiosa.
Quanto a xuxa, kdo regressamos de Portugal e chegamos ao nosso novo destino na Asia, aterrou pela primeira vez na sua nova caminha e a partir dai nunca mais quis xuxa, isto ja aos cinco anos. Sem dramas...ele eh k decidiu assim!

mamacris disse...

ora bem , vamos la ver se a minha experiencia ajuda. O meu menino agora de cinco anos tem pais altos, mas devido ao seu fraco apetite eh muito magrinho e praticamente o mais baixinho na sala dele. Eh muito activo e saudavel, mas inspirou-nos sempre muitos cuidados por esta razao. A juntar-se a isto pk ele nasceu em Junho acaba por ser um dos mais novos.
A medica diz-nos k nao ha razao para nos preocupar-nos mas o k eh certo eh k isto me deixa muito ansiosa.Neste ponto infelizmente nao posso ainda ajudar.
Quanto a xuxa, kdo regressamos de Portugal e chegamos ao nosso novo destino na Asia, aterrou pela primeira vez na sua nova caminha e a partir dai nunca mais quis xuxa, isto ja aos cinco anos. Sem dramas...ele eh k decidiu assim!

Melissinha disse...

Mamacris, adorei ler o teu comentário :)

mamacris disse...

os meus comentarios :), faco td a dobrar, ateh meninos!
espero ter ajudado, gosto mto de passar por cah, embora nao comente...

mamacris disse...

os meus comentarios :), faco td a dobrar, ateh meninos!
espero ter ajudado, gosto mto de passar por cah, embora nao comente...