quinta-feira, 17 de dezembro de 2009

Natal

Nunca fui muito à bola com o Natal essencialmente porque me deprime a forma como as empresas se aproveitam desta data e conseguem transformar tudo numa fantochada de marketing. Como os hipermercados que, por um lado, com a Popota e a Leopoldina brandam aos céus a necessidade de ajudar os mais desfavorecidos, mas que, ao mesmo tempo, fazem pressão política para que os seus amados funcionários fiquem 12 horas seguidas a trabalhar, transformando a sua vida numa escravatura. Mas exemplos deste “espírito natalício” estão marcados por todo o lado. Pais natais patrocinados por bebidas, árvores gigantes carimbadas com logótipos de marcas de telecomunicações e luzes de cidade luzindo como brindes de instituições financeiras.

Mas a visão do mundo, lá está, altera-se consoante a vida. Agora sou um fiel detentor duma adorável cria e este vai ser o seu primeiro Natal. Claro que o pinheiro lá de casa cresceu uns andares. Por mim ficava o mesmo, um raquítico de três palmos que custou 4,95 euros no LIDL há três anos. Mas não, a mãe de sua alteza, a cria, pensa que o dinheiro cai do céu, pega no carro e no AKI investe 39,90 num pinheiro em condições.

- É o primeiro Natal dele, coitadinho, tem de ter um pinheiro digno do nome. Tão fofinho!

Mas apesar do preço, confesso que é jeitoso e depois de postas as fitas, a estrela e as luzes a casa ficou logo com outro ar. A cria, por seu lado, aprecia o manancial de material e não são raras as vezes em que o apanhamos a rastejar como um soldado ferido até à árvore e abocanhar com os seus quatro dentes as luzes azuis e vermelhas.

- Tás a ver como ele liga ao pinheiro! Tão fofinho!

O que é chato nisto tudo é que a mãe da cria não se contém, deixo-a sozinha a fazer compras e aparecem-me logo 23 embrulhos depositados aos pés da árvore AKI. Sacos da Chicco, da Zara Kids, Continente, Jumbo, Imaginarium, Toys R’ Us e até havia um da Foto Sport.

- Pronto, para ti e para o Gabriel já está. Tão fofinho!

O único problema disto tudo é que o Gabriel ficou com vinte e dois e eu com apenas um. Apesar de não o demonstrar, porque um homem quando é homem é capaz de fingir as emoções, confesso que fiquei algo sentido com a injustiça. Quer dizer, não é que o puto não mereça o seu quinhão, mas eu devia ter direito a um igual. Afinal quem a atura sou eu e quem aspira o ranho do nariz ao filho sou eu!

- Olha lá ele a olhar para as prendas, parece que adivinha que são para ele, tão fofinho!


17 comentários:

Melissinha disse...

ó pá :P

Ginguba disse...

eheheh
E eu a pensar que o vosso pinheiro era um cacto.
:)

Ana C. disse...

Espero que essa que ele está a abocanhar não seja a da Alice :)
Agora já não és o Hugo, és o PAI DO GABRIEL. Mentaliza-te sim?

Marina disse...

É assim mesmo Melissa! Olha para ele tão fofinho no meio do Natal! ;D

Pekala disse...

(quando parar de rir eu comento juro!)

Melissinha disse...

O da Alice já tinha sido vitimado.

Supertatas disse...

olha hugo, debaixo do meu pinheiro não há uma única para mim, NEM UMA :'(

Melissinha disse...

É uma forreta, pá.

Ana. disse...

Ahahaha! A injustiça de se ser adulto!

E agora eu pergunto, senhor Hugo, pai do Gabriel, tão fofinho, por que razão escreves tão pouco?!!

Vaius dizer-me que com trabalho, bebé para dar danhinho e sei lá mais o quê, não tens tempo, não?!

;)

Ana. disse...

Banhinho!! Eu juro que queria escrever banhinho!!
Tão fofinha!

Melissinha disse...

danhinho!

Bailarina disse...

E eu já li este post duas vezes, só para imaginar a mãe a dizer: tão fofinho! adorei! ehehe

Ana. disse...

Ó pá, eu fiz a ressalva!!

(E já agora aqui fica outra: Vaius?!! Não! Vais!!)

;)

Ana C. disse...

Ana. tu hoje não estás bem, deve ser do chá preto :)

Melissinha disse...

Do comércio justo, que eu não sou a unicef.

sofia disse...

Tão fofinho!!!!
Será que os embrulhos chegam ao Natal?....
fica lindo, ali no meio do Natal :)

Hugo Carvalho disse...

Hoje,quando fui ver o pinheiro, estava lá mais uma para mim. Já tenho duas!!