sexta-feira, 7 de maio de 2010

O lixado dos desabafos

O lixado dos desabafos é que dura mais em quem ouve do que em quem faz. Então pomos tudo cá para fora, e o meu namorado não presta, o meu emprego é uma merda, nunca devia ter tido filhos, a minha sogra é um boi, vou-me atirar ali da janela, unhé, unhé, unhé, e... Pronto, ficou tudo cá fora. Ficamos limpinhas. Em compensação, o pobre do coitado do ouvido ficou cheio daquele lixo, e passa a achar-nos a pessoa mais frágil e infeliz e a precisar de intervenção do mundo, e quer ajudar, quer tanto ajudar que às vezes dá vontade de mandar o pobre do ouvido ir pastar (até ao próximo momento de fragilidade, pelo menos.)



(Aos amigos que podem achar que estou a falar para alguém ou sobre alguma coisa em específico: não estou mesmo. Estou é a pensar que às vezes digo qualquer coisa menos alegre aqui no blog e vêm perguntar-me como eu estou horas ou dias depois. Odeio. PASSOU, CAMARADAS, PASSOU.)

10 comentários:

Ana C. disse...

Ai que isto é tão verdadeiro que até doi.
Odeio que comentem ao vivo um desabafo que fiz no blog. Que me venham falar de coisas que escrevi e desabafei com olhar pesaroso, ou curioso.
Quanto aos outros desabafos temos que medir sempre muito bem e escolher ainda melhor a quem os dirigimos...

Ginguba disse...

Eu entendo o desconforto mas acho que é inevitável.
Se eu conhecesse alguém que escreve num blog acho que não conseguiria ignorar ou fazer de conta que não li!
Imaginem que eu vos conhecia: Acham que eu não ia perguntar à Ana se a Alice está melhor?
Acho que quem lê um blog de alguém que conhece deve ser discreto e ter bom senso, mas isso é como com tudo, não é?

Raul e Joel Carvalho disse...

Divulgação

http://noticiasanctuanlizadas.blogspot.com/

Melissinha disse...

Ginguba, é inevitável mas é tão constrangedor. Porque o blog funciona como um escudo. Mais ainda, é quase uma persona. Às vezes é puro alter ego. Mexer com isso é quase mexer com a nossa identidade secreta.

Não é o mesmo que dizer que não quero contacto físico com as pessoas que conheço aqui, porque adoro. Já fiz bons amigos e espero fazer mais.

E também não vale para doença de filho, operação para desencravar a unha. Isso acho bem que se pergunte. Estou a falar de momentos de fragilidade mesmo. No meu caso, é para quase todo o tipo de desabafo. Confesso que é raro não me arrepender de desabafar, justamente porque não gosto de ser confrontada com isso depois.

Ana C. disse...

Ginguba a Alice está bem melhor!!! E quanto a isso acho muito bem que se preocupem sim senhora :) Nada a ver com um estado de espírito do momento que decidimos vomitar no blog...

Melissinha disse...

No meu caso, odeio desabafar, ponto. Porque tenho uma característica que a mim serve-me muito bem, mas que, sendo um bocado rara, os interlocutores não entendem bem: eu conheço e assumo muito bem os meus defeitos e erros. Num desabafo, digo logo o que fiz de errado. E o passo a passo até lá. Enfim, enterro-me, e enterro-me bem. Acho que passo sempre a impressão de que é uma falha de carácter qualquer, porque às vezes oiço reflexos do tal desabafo em assuntos que não têm puto a ver.

E pronto, já falei de mais outra vez, quando podia apenas ter dito: exponho-me demais quando odeio expor-me. :)

Ginguba disse...

Pois eu acho essa tua característica admirável! E é rara sim. Normalmente as pessoas só mostram o seu lado bom, nunca os defeitos nem os fantasmas!
E acho muito corajosa essa exposição.
Entendo muito bem que seja difícil depois confrontares-te com comentários sobre isso. Eu nunca vejo falha de carácter nos teus desabafos, vejo honestidade contigo própria e com os outros!

Pekala disse...

Idem,eu sou "boca-rota",pareço o camião do lixo a despejar no aterro,vai tudo por ali abaixo até acabar e depois siga que a malta não tem tempo pra se afundar.Também falo demais,exponho-me demais e odeio ser confrontada mas sujeito-me né?é um dilema do caraças porque eu às vezes preciso MESMO de despejar e dou por mim a hesitar e isso lixa-me pá.e depois quando já passou nem me quero lembrar porque é que disse/escrevi aquilo...enfim.

almighty yellowphant disse...

"a minha sogra é um boi"
haha adorei.

É por isso que eu nunca serei psicologa. pobres coitados :P

Beijinhos

LaranjaLimão disse...

É que n deve existir merda pior do que me perguntarem ao vivo, "mas olha lá, no outro dia li o teu blog e estavas com vontade de te matar, ainda estás, ou já te passou?" dassseeee livrem-se de tal pergunta!

What Happens In Vegas, Stays In Vegas.