sábado, 18 de setembro de 2010

Antídoto para a rotina

Ontem: filminhos parvos com malta gira numa casa linda, muita gargalhada, muita ideia boa. Hoje, dormir a más horas, acordar em conchinha a más horas.

Almoçámos muito bem,, depois fomos ver concertos, fotografias para lá de giras e putos a fazer de guias em museus, e, de quebra, já que estávamos por ali, fomos ao meu tão amado supermercado paquistanês e encontrei umas ervilhas que o Shahin andava à procura. Fiquei mesmo contente.

Mais tarde, bem mais tarde, fomos comer ainda mais, beber café num pátio lindo, depois fomos ver livros e deixei-me capturar em menos de dez minutos por um livro não menos do que abismal - mas respirei fundo e não comprei, ponto para mim.

Pelo meio, conseguimos bilhetes para uma das minhas peças preferidas de sempre, que julgava mais do que esgotada (adoro Tennessee Williams. Tenho tanta pena de o ter estudado na faculdade tão novinha. Adora pegar em todas as suas Blanches DuBois agora, com esta idade. Vai ficar para outra fase, no entanto).

Fomos ver o rio. Cheirava muito mal, mesmo muito mal.

Acabámos o dia com a sensação dos tempos de namoro, e a decisão firme de ter um dia assim, cheio de nós mesmos, todos os meses. Faz bem à pele, à cabeça, ao coração, ao juízo. Filho é bom, uma delícia, mas namorar também é.

PS - todas as refeições deste post foram feitas com groupons ou tickets da TimeOut.

2 comentários:

Ana C. disse...

Uma boa berlaitada também não é mal pensado e gastas menos os sapatos :)
Isto sou eu a morrer de inveja amarela pela iniciativa alheia.

Melissinha disse...

Nós já mudámos o bebé de quarto, portanto, digamos :)

Gastar os sapatos e ver gente na rua sem bebé é que fazia mesmo falta.

Recomendo! Uma vez por mês!