segunda-feira, 21 de novembro de 2011

Máxima para a vida nº 2

Às vezes, cheira a cocó porque temos cocó debaixo do nariz. E, às vezes, cheira a cocó porque há mesmo cocó à nossa frente, e aos lados, e atrás.
Há que pedir a Deus discernimento para os distinguir.

(Aqui entraria uma imagem alusiva).

2 comentários:

Ana C. disse...

O problema é quando estás submersa na própria merda e nem sequer dá para sentires o cheiro. Quando te apercebes já é demasiado tarde.

Melissinha disse...

.... Yap. E esse comentário é que merecia uma imagem alusiva.