segunda-feira, 3 de novembro de 2014

A descompensada

... E ontem, a caminho de Lisboa, ia a contar ao Hugo o tal capítulo do livro que me fez parar para o digerir. Fui contando a história desde o princípio e, quando chegou à parte X, caí num pranto inconsolável. "Mas entendes como é lindo? Aconteceu o que tinha de acontecer, da maneira mais linda, mais digna, mais... buááááááá!!!!"

Ele caiu na gargalhada.

Eu corei até aos ossos.

7 comentários:

gralha disse...

Deixa lá sair o pranto. E haja quem se ria contigo, que bom :)

Melissinha disse...

Mando-te o livro quando acabar, Gralha!

Naná disse...

Mas porque é que alguém tem que rir a bandeiras despregadas quando estamos ali a expôr o coração?!

Eu sei que por vezes fazemos figuras um bocado tristes e mais tarde até riremos rir também...

Melissinha disse...

Naná, foi BASTANTE ridículo. :) Eu estava a falar de um romance, nem foi nada da vida real, era o diabo de uma história para adolescentes.

(Claro que havia ali muito choro a ser chorado, mas a cena em si foi engraçada, só não me ri porque morria de vergonha.)

gralha disse...

:)

dona da mota disse...

:)
E o bem que sabe chorar, às vezes...
Se calhar ando precisada!!!

Dos posts em baixo, que li agora pois ando meio sem tempo. Inscreveste-te na zumba? Eu já fui a 2 aulas e estou a adorar!
Muito bem, mesmo!!!

Amigo Imaginário disse...

Há tanto tempo que não me emociono a sério com um livro... Que bom tropeçares num que te mexe com as emoções! :)