quinta-feira, 21 de janeiro de 2010

Quebra de expectativas

Aqui no prédio, no andar de cima, vive um casal um pouco mais velho do que nós. Ela, bêbeda, ele, drogado. Nota-se bem que já vivem assim há muito, muito tempo, porque parecem velhíssimos e já não conseguem articular os pensamentos.

Estão todos f...., em bom vernáculo.

Este casal tem uma filha de coisa de 12 anos e um cão. Reparamos na menina logo que chegámos ao prédio, pois, muito à anos 60, ia comprar cerveja e tabaco aos pais. Claro que ficámos escandalizados, e ai meu Deus, alguém que ligue à protecção de menores, coitada da menina, agora a crescer numa casa de gente tão estragada e sem esperança nenhuma.
Vocês esperariam, tal como eu, que a menina andasse sempre numa lástima, esfomeada, suja e mal vestida. É o que se esperaria, naturalmente. Mas não. A menina está sempre impecável, limpinha e bem nutrida, tem imensos amigos na rua e sei que é uma aluna excelente. Começámos a reparar, aos poucos, nos pais quando estavam com ela. O pai tenta, e nota-se mesmo o esforço, "parecer normal" quando estão juntos. Dá-lhe a mão, fazem gracinhas, passeiam o cão juntos à noite. A mãe, a mesma coisa. Quando está com a filha, não anda cambaleante, não faz escândalos.

Aquele casal todo f.... cuida muito bem da sua filha. Fazem exactamente o que cada um de nós tenta fazer, que é ser uma pessoa melhor pelo filho. É como se aquela menina contivesse em si tudo o que eles não conseguiram ser, como se fosse o caminho que não escolheram. E preservam-na com esforço e amor.

Tantos casais inteirinhos e sem vícios estão longe de conseguir o mesmo.

5 comentários:

Ines disse...

é um exemplo para muito pais que não são viciados.

Ana C. disse...

Nem sei o que pensar dessa história, pois só me ocorre dizer que o melhor que podiam fazer pela filha era mesmo deixarem os vícios. Por muito que tentem disfarçar podes ter a certeza que a filha entende tudo.
Mas entendi a tua reflexão e não deixa de ser tocante o esforço que fazem para parecerem bem pela filha...

Melissinha disse...

Pois, da maneira que eu escrevi até parece que estou a defender, mas não. O que acho giro nessa história é a quebra de expectativa, mesmo. O esperares um resultado e veres outro.

Precis Almana disse...

não deixa de ser uma história bonita...

Ana. disse...

Cada vez me convenço mais de que esta vida é tudo menos linear.

Talvez a miúda perceba mesmo o que se passa e tenha a noção de que é a âncora dos pais... sabe-se lá o que seria deles sem esse "esforço" para viverem momentos de "normalidade"...

;)