sexta-feira, 17 de junho de 2011

Plano de emergência

É relativamente fácil encontrar no Facebook pessoas que deixámos de ver há anos. Se não fosse a geringonça do Mark Zuckerberg dificilmente poderíamos voltar a vê-las. A realidade afasta, a virtualidade aproxima.
Recentemente descobri muita malta do meu passado. Colegas que trabalharam comigo em empregos temporários e muitos amigos de infância que desapareceram sem mais nem menos. É giro poder vasculhar a vida das pessoas assim. Andar a clickar nas fotografias delas e saber o que andam a fazer. O meu cérebro espera sempre encontrar as mesmas fisionomias que gravou da última memória que esteve com elas e é uma decepção perceber que todas estão mais velhas. E toda a gente tem filhos e fotos bonitas em praias e em cidades cliché.
No fundo, há uma enfadonha sensação que comprámos o mesmo set de vida numa loja Ikea.

Lista de coisas que vou fazer este fim de semana para salvar o meu set vivencial
- comprar um extintor
- comprar um transístor e duas embalagens de pilhas alcalinas
- comprar 4 garrafões de água de 5 litros
- açambarcar grandes quantidades de salsichas enlatadas tipo Frankfurt e atum em lata
- afixar os móveis às paredes

3 comentários:

Melissinha disse...

"afixar os móveis à parede"

HAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHA
HAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHA
HAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHA
HAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHA
HAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHA
HAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHA
HAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHA
HAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHA
HAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHA

persiana disse...

????

gralha disse...

Essa formação em situações de emergêcia bateu forte! Guarda também uns livros do Noddy para o Gabriel não se aborrecer caso fiquem separados do mundo por umas horas :)