quinta-feira, 30 de junho de 2011

O que é ser uma boa amiga?

É dizer exactamente o que pensamos, mesmo que choque, ou só dizer o que pensamos quando somos para aí chamadas e respeitarmos o livre arbítrio da criatura amiga?

É "vive e deixa viver, mas eis o que penso e digo-o porque gosto de ti e quero ser transparente" ou é "vive e deixa viver e caguei, odeio conflito especialmente quando não é nada directamente relacionado com a minha vida"?


Às minhas amigas: não, não ando a criar coragem para dizer nada a ninguém, é pura reflexão sobre o meu nível de quase absoluto não-envolvimento.

7 comentários:

Ana C. disse...

Melissa, eu acho que tudo depende da situação e, acredita, que o teu bom senso ditará o que fazer.

Melissinha disse...

O meu bom senso dita-me sempre para ficar na minha :D

manue disse...

se for para dizer "essa saia fica-te mesmo mal", isso para mim não é amizade mas mania (mania que é moderna, mania que é sincera, mania que diz tudo na cara).
But that's just me.
Aliás sou um pouco contra opiniões não solicitadas...

Ginguba disse...

Há uns anos atrás eu não hesitaria em responder a 1ª hipótese. Entretanto percebi que isso é a forma como eu gosto que os meus amigos me tratem mas não serve para toda a gente. Há pessoas de quem gosto a quem não posso dizer o que penso e ser transparente. Não é definitivamente uma questão a preto e branco e há que saber avaliar.
Dava pano para mangas, este assunto!

Melissinha disse...

Acho que ninguém está para se chatear muito, hoje em dia. Nem para receber nem para fazer críticas.

gralha disse...

Custa-me muito ficar calada, ainda que me possa tramar à custa disso. Prefiro que me digam toda a verdade, à bruta, e tendo a fazer o mesmo com os outros.

Marina disse...

Depende da situação... Mas a experiência tem-me mostrado que quem é directo, frontal e sincero em nome da amizade é que fica sempre mal visto. Os dissimulados ficam sempre os bons da fita.