sábado, 13 de agosto de 2011

Ele é

o puto mais boa-onda que já conheci. Vá lá, talvez seja o segundo: o primeiro foi o meu próprio irmão. Achava que a memória selectiva tinha apagado os maus momentos do Fernando, mas não: já comprovei com outras pessoas que ele era mesmo um puto fixe. Não me lembro do choro dele. O Gabriel também chorou pouquíssimo até agora.

Amo que os homens da minha família sejam descomplicados, dados, risonhos, divertidos, simples, seguros, no-nonsense.

Compensa todo o drama que eu carrego em mim.

Se hoje ele decidir virar um monstrinho devorador de mães, já valeu a pena.

4 comentários:

Ana C. disse...

E ainda por cima é fofo que se farta :)

Melissinha disse...

Completamente esquilucho.

gralha disse...

Ah que bom... Todos deviam nascer assim :)

Naná disse...

O meu é safado. chora baba e ranho para conseguir o que quer!
Grande Gabriel!