domingo, 21 de abril de 2013

Flores da fábrica







O jardim mais lindo que já vi na minha vida: de longe, um caos de cores e folhedo, quase mato; de perto, pecinhas de mosaico nada ao acaso, que só podem fazer sentido a quem lhes dedicar algum tempo e um segundo olhar ao longe. Aí sim, o jardim revela-se - a quem o merece.
 
É para a linda Silvina, hoje, uma semana depois do voo.
E para a minha mãe, que certamente mereceria esta explosão de cor e de vida e de insetos dos bons e de tudo.
Seriam vocês as duas abelhinhas que andavam para ali a zunzunar até me botarem para correr, hein?

Tenho muita pena de a minha máquina ter perdido grande parte das fotografias. Bom, mais um motivo para lá voltar.

4 comentários:

Ana C. disse...

Tenho dias em que também encontro beleza nas coisas mais improváveis, principalmente quando tenho contacto com substâncias psicotrópicas, quer por inalação via terceiros, quer por inalação via qualquer via :)
Quanto às duas abelhas, tenho a certeza que sim ;)

Susana Neves disse...

*

Melissinha disse...

Casaca, pode ou não ter-se dado o contágio :)

Sara ProfissãoMãe disse...

Lindo