sexta-feira, 2 de outubro de 2009

Entre amigas

A Bailarina, visitante aqui deste cantinho e orgulhosa mamã do Raul (não deixo o link porque o blog é fechado), escreveu um belíssimo post a uma amiga sua que está prestes a ter bebé.
Poderia perfeitamente ter sido eu a escrever - e a Anacê e a Tatas disseram-me coisas parecidas também.
Deixo aqui então. Não deixem de ler - e reler, quando chegar o momento. :)

....

O trabalho de parto é isso mesmo, um trabalho, com vista a um objectivo muito nobre e cuja recompensa é realmente fabulosa;
Aquelas histórias medonhas que nos contam, sobre o parto, são mitos urbanos, não têm que ser verdade, eu acho que muitas não são(eeheheh);
A epidural, que foi descoberta para minorar o sofrimento e aumentar o prazer, não faz de nós mães mais fraquinhas e passados 6 meses não me aconteceu nada de mal;
O pós parto é terrível, os pontos doem como o raio, o sentar é difícil, pede gelo e alivia e acredita que passa;
A estadia no hospital não é fabulosa, mas tenta ver isso como uma passagem, sê simpática para as enfermeiras, não leves a sério tudo o que elas dizem, não te sintas pressionada por elas, mas se descobrires uma simpática pede-lhe ajuda se precisares;
A chegada a casa de um bebe têm tanto de maravilhoso, como de imensamente estranho, 3kg e pouco enchem uma casa toda, ocupam tudo, dominam tudo;
A relação marido-mulher fica estranha, não se sabe muito bem se aquele é o marido, se o pai da criança, se o homem com que casámos…A visão fica turva nos primeiros tempos, mas recompõe-se;
Com as pessoas amigas, sê sincera e diz para te visitarem mais tarde, a casa cheia de gente nos primeiros tempos é meio caminho andado para a lágrima;
Sim, as lágrimas estão sempre lá, ou porque sim, ou porque não…
Estar cansada e sem paciência é normal, muito normal, pede ajuda, não é vergonha, não és pior mãe por isso, não monopolizes tudo;
Dorme quando ele dormir, mas dorme mesmo, eu dormia sempre e andei quase sempre fresquinha;
Não exijas que o teu menino faça tudo como fazes, dá-lhe espaço para fazer as coisas à maneira dele, assim ele sente-se mais pai e tu ficas com mais tempo para ti;
Deixar o miúdo 3 horas com alguém de confiança, para ires fazer alguma coisa que te dê prazer não é pecado, não te sintas mal, nem deixes que te façam sentir mal, não és má mãe por isso;
A amamentação é a melhor opção, sem dúvida, insiste, não desistas, mas se não correr bem, não deixes que nenhum médico, enfermeira, amiga, vizinha, ou amiga da amiga que deu de mamar até os 30 anos, te faça sentir mal;
Os maus hábitos, aquilo que te vão dizer para não fazeres porque são maus hábitos, são algo que todos fazem quando isso contribuir para o equilíbrio da família, seja adormecer ao colo, na cama dos pais, a abanar…Não digas tudo o que fazes, assim poupas os olhares críticos de quem já fez o mesmo;
Quando te disserem que é mimado, diz que sim, que é, até porque se não lhe dermos mimo em bebe não estou muito bem a ver quando é;
A pergunta de alguém bem-intencionado: “ será que não é fome”, quando acabaste de dar de mamar, pode provocar um turbilhão hormonal dentro de ti, é normal, e passa;
Vão te dar muitos conselhos e palpites, alguns muito úteis, os que não interessam não vale a pena dizer nada, quem já teve filhos pensa sempre que sabe tudo, é normal, eu já acho isso EHEHEH;
Cada criança é diferente da outra, a receita milagrosa para uma, não serve na outra, são muito complicados estes putos;
Quando te disserem que ele é muito lindo, que quase dá vontade de comer, mais tarde vais lembrar-te que se calhar o devias ter mesmo comido, EEHEHEH;
Eles choram, mais ou menos, é normal, são bebés, faz parte, e muitas vezes choram por duas coisas, por tudo e por nada…Quando tiveres dias assim, ao fim do dia entrega-o ao teu menino e vai arejar;
Para mim o mais importante, foi perceber que se eu estiver bem, ele também está, se eu estiver calma ele também, por isso descobre-te a ti como mãe, e vais ver que vai correr tudo bem;
A maternidade não é cor-de-rosa, não desceu sobre mim um instinto maternal que me faz acordar cheia de energia e super feliz de hora a hora, ou de 2 em 2, ou de 3 em 3, mas o corpo humano adapta-se, e sim é bem verdade que o sorriso deles compensa tudo, mas é que compensa mesmo!
Confia em ti, nos teus, no vosso amor e tudo vai correr bem! ACREDITA

7 comentários:

Ana C. disse...

Adorei. É muito bom ver que tantas mães/mulheres sentem precisamente o mesmo que nós :)

eu disse...

Foi a mim que a Bailarina escreveu este post e acredita que imprimi e vai estar sempre comigo!
Bjkas

Melissinha disse...

Segue-o e serás feliz! :)
Uma hora pequenina e boa para ti!

Ines disse...

esta muito fixe o texto, parabens a pessoa que o escreveu.

bjs

Sofia disse...

Olá :)
Ás vezes venho cá espreitar, mas nunca comentei.
À parte dos pontos (que não me custaram nada, pois só levei 2, apesar de ser o 1º filho e ter nascido com 3,5kg, acho que tive sorte), podes dizer à tua amiga que é TAL E QUAL. O meu chorou tanto, mas tanto, que ganhou uma hérnia enorme no umbigo. Chorava ele e chorava eu que já não sabia o que havia de fazer. Passamos noites inteiras com ele ao colo de um lado para o outro, nos sem dormir nada...Hoje, só adormece na cama dele e nem quer andar ao colo. Se soubesse o que sei hoje, teria andado com ele ao colo SEMPRE e não tinha dado ouvidos a ninguem. Estou cheia de saudades de um bebe de colo :( LOL
A amamentação foi outro drama: chorei e chorei porque não lhe dava leite suficiente. Senti-me a pior mãe do mundo, comecei a achar que ele não ia ter tantas defesas (é uma criança tão saudavel que nunca compramos sequer nebulizador, não faço ideia de outro medicamento que não o benuron).
Eles criam-se à mesma, a variante é se nós usufruimos mais ou menos da experiencia e para usufruirmos mais temos de acatar tudo aquilo que esta ai escrito nesse post.
Bjocas

Mafalda disse...

Subscrevo tudinho. TUDINHO.

Igraine disse...

Meu deus, até chorei com este post. Posso divulgar? É que merece. Mesmo.