domingo, 30 de outubro de 2011

Eu sem facebook

- Ontem fomos a uma aula de dança na quinta pedagógica. Muito fixe para miúdos um pouco mais velhos que o meu (que curtiu mesmo assim, mas preferiu as cabras e porcos). Quem os tiver (miúdos mais velhos do que o meu, não cabras e porcos), que dê uma vista de olhos à programação para famílias da quinta. É repleta de atividades e todas elas são gratuitas.

- Estou apaixonada por todo o caso do Duarte Lima; mais uma vez, a realidade suplanta, e muito, a ficção: quem é que se lembrou de fazer um vilão que, depois de se ver a braços com a sua própria mortalidade, em vez de tentar fazer as pazes com o Criador e redimir-se diante da homens para garantir a imortalidade da sua alma se torna um assassino frio e calculista? Acho brilhante. Deve ter deixado os escritores do país todos a pensar: "Olha que esta...". Minha conclusão: só a realidade pensa fora da caixa.

- A Casa dos Segredos consolidou-se como o mais culpado de todos os meus prazeres culpados, e tenho muitos prazeres daqueles mauzinhos (entre os quais boybands latinas da década de 80). Ontem, pela primeira em vários anos, fui dormir às 3h da matina: não porque estava a dançar loucamente numa discoteca ou a ter uma noite incrivelmente romântica, mas porque estava a ver o resumo semanal. Considerações:

- O Carlos é a maior galdéria do mundo.

- Amo a Fanny e a Susana, por mostrarem que não temos de ter medidas perfeitas nem o melhor dos cabelos para fazer virar a cabeça de gorilões da noite. Uma boa dose de auto-confiança e altivez parecem ser suficientes.

11 comentários:

Ana C. disse...

Ainda não entendi a diferença da parte da Melissa sem facebook...

Melissinha disse...

Uma colega de curso mandou-me a solução para os meus problemas de ADD, acho que ressuscitarei em breve.
Chama-se Macfreedom e já estou encantada.

Melissinha disse...

Ei, bora escrever um filme sobre um vilão que fica ainda pior depois do cancro?

c disse...

Qual é a quinta pedagógica? Olivais? Aulas de dança interessam-me!
(Casa dos segredos: nunca vi, mas fascina-me o efeito que tem sobre as pessoas. Ontem no café estavam as velhotas do meu bairro em indignada cavaqueira: "mas que necessidade têm aquelas galdérias de andar o dia todo de fio dental? Umas porcas, é o que é.")

Ana C. disse...

Só se o protagonista for mais bonito do que o Duarte Lima.
De resto, tudo perfeito. Toca as Variações de Goldberg no Orgão da igreja e tudo.
Ele sempre disse que, depois de ter tido a leucemia, passou a dar um valor brutal à vida humana :)
Sabes que eu ainda não acredito?

Ana C. disse...

Macfreedom não é um menú do Mcdonalds?

Melissinha disse...

C, são umas porcas fascinantes e viciantes. Impressionante.

Cê, ele ainda não foi condenado, portanto, ainda há margem para duvidar. Eu cá acho que ele fez isso tudo, sim, porque tenho uma fé tremenda nas investigações do MP brasileiro. De qualquer forma, já nos deu um vilão prontinho, pelo que lhe sou muito grata.

Macfreedom, além de serem batatas fritas pós 11-Set, é um software usado por escritores famosos (acabei de limpar a garganta ruidosamente) e outra malta para simplesmente bloquear a Internet/redes sociais por períodos entre 45 minutos e oito horas. E esta, hein? Vai os blogs, vai o Gtalk, vai tudo à vida!

Ana C. disse...

Não é mais fácil e mais barato desligar o modem?

Melissinha disse...

Ná, já tentei essa, é mais fácil religar o modem (botãozeco) do que o Macfreedom.
Pá, e sete euros pagam-se bem! Aliás, pagam-se no primeiro dia, na verdade.

(Isto deve soar profundamente doente aos olhos dos organizados e auto-controlados. Entendam: trocaram-me esses botões por outros no fabrico).

Melissinha disse...

É isto: http://macfreedom.com/

Melissinha disse...

PS para a C - é quinta dos Olivais, sim. Há mais aulas em Novembro e Dezembro e os miúdos um bocadinho mais velhos que o meu (diria aí 3 e meio, quatro anos) estavam a delirar. O meu curtiu, mas não delirou, demorava muito tempo a entender as instruções.