sexta-feira, 24 de fevereiro de 2012

O plano sempre adiado

Começar a falar-lhe da avó Mel.
Não consigo, desato a chorar, caio num pranto de dor e injustiça sem fim e...

Custa-me imenso que ele não saiba que tem outra avó que não é nem a mãe do Hugo nem a Isabel, mas para isso eu precisava de ter fotos em casa, falar com alegria, fazer com que ele apontasse para ela e dissesse: ali, a avó Mel.

Estou seriamente inclinada a pedir ao meu irmão ou ao meu pai que o façam.

10 comentários:

Ana C. disse...

Tens tempo, Melissa. A sério. Daqui a um par de anos ele entenderá melhor e não será tão estranho.

sofia disse...

Tens tempo
A minha filha ainda nem sequer aceita que tem outro avô
e fica sempre incrédula quando, em casa da minha mãe, lhe respondo que naquela foto é o avô zé
E mais, quando me pergunta pelo meu pai, se lhe digo que é o avô zé, diz-me que não, que é um pouco o MA (o companheiro da minha mãe)
Temos tempo e eles também o têm
Vai chegar o dia em que o vão perguntar, e vão ter disponibilidade e poder de aceitação para o ouvir
Xi-♥

Melissinha disse...

Sabem, acho que me incomoda mais o facto de quase oito anos depois ainda ser este chinfrim do que outra coisa.

Mas queria muito que ele já a reconhecesse nas fotos, como ao resto de nós. Eh pá, queria tanto. Mas não tenho fotos dela.

Melissinha disse...

(Sim, é difícil entender)

Ana C. disse...

Não tens fotos da tua mãe em casa? Ele vai acabar por perguntar, tu vais dizer-lhe e ele passará a falar nela quando vir a foto.
Quase oito anos depois, mas a realidade é que isto de Gabriel e avó e entendimento sobre o assunto, é novidade...

Irina A. disse...

Sentes coisas tão maravilhosas pela tua mãe pq motivo irás pedir a alguém que descreva os teus sentimentos? :)
Leva o tempo que precisares mas não percas a oportunidade de descrever a tua mãe ao Gabi. Ele vai conhecer a avó a partir dos teus olhos, não percas essa oportunidade :)

Naná disse...

Nem imaginas o baque que senti quando há dias, fui à casa onde o meu pai morava e lhe disse: vamos a casa do avô Abel e ele ao chegar lá me perguntava sem parar: onde tá vô Bel???

Pior foi ele apontar para um tio do meu marido e dizer que aquele senhor era avô...

Nestas coisas não há tempo definido para se fazer esta ou aquela coisa... nisto tenho que concordar com a Ana C...

Ginguba disse...

Melissa, a minha filha não conheceu nenhum dos avôs. Não sei bem como foi o processo, mas foi natural e com a ajuda das avós e das fotos ela integrou que tinha avôs mas eles não estavam lá. Não tens mesmo fotos?
Para nós não havia já esse problema em falar do assunto porque ambos perdemos o pai muito cedo e o tempo é um grande aliado. Compreendo que para ti seja cedo mas também acho que tens tempo!
Beijo

(E tira a verificação de palavras,sim? PLEASE!!!!)

Melissinha disse...

Pronto, suas melgas.

JS disse...

Eu falo do meu pai às minhas filhas, mas o Mateus não consegue falar...

Não é fácil, mas tu sentes que precisas, por isso vais conseguir.