segunda-feira, 4 de julho de 2011

Faço artesanato,

ou seja, vou ali ao chinês e compro uma data de molduras pré-fabricadas, bem como caixas e letras soltas e bonecas, colo tudo e pimbas, sou artista urbana, com loja na Etsy e às vezes até vou a feiras de artesanato e tudo.

Se estiver mais numas de bijutaria, não me acanho: à direita, no mesmo chinês, tenho contas de várias cores, correntes, enfio tudo por ali além e ponho num saquinho de tule - ENA! Também há no chinês - e pronto, sou joalheira. Mas esperem, porque ainda não saí do chinês e também tenho imenso talento para fazer ganchos e pregadeiras: compro flores de feltro de vários tamanhos, colo umas às outras e tungas, faço história da moda.

Chiça, que sou talentosa, pá.

11 comentários:

gralha disse...

Pronto, já está traçado o teu sucesso. A seguir, podes organizar workshops de motivação.

Marina disse...

Mostra lá então as tuas obras!

Melissinha disse...

Não tenho jeito nenhum para colar e pintar, não dá para fazer artesanato urbano.

Melissinha disse...

Mas olha que uns workshops de motivação eu até dava, Gralha. Sei montes de frases fixes!

Cati disse...

A-D-O-R-E-I este post! A ironia em dose perfeita!

Beijo grande!

Ana C. disse...

Para quê inveja da arte alheia?

Melissinha disse...

Isto de não ter jeitinho para nada dá-me para o despeito.

Marina disse...

Podia dar-te para aprender! (Se quisesses, claro)

Ginguba disse...

Eu tenho jeito para pintar paredes. Conta como talento?

Melissinha disse...

Conta sim, Ginguba, mas também é artesanato?

Melissinha disse...

Marina, sempre quis fazer alguma coisa com as mãos, não tenho jeito para nada. Invejo imenso quem tem talento criativo para transformar bocados de coisas em peças bonitas.

Mas a versão Ikea da coisa... eh, pá, dispenso.