sexta-feira, 23 de dezembro de 2011

Bebegugrafia - 4 - dia do Pai

Algumas coisas que precisas de saber sobre ti no meu primeiro dia do pai:



Comes sempre de 3 em 3 horas, independentemente da quantidade de Mc Leite Nestlé que te tentarem enfiar pela goela abaixo. 180 minutos é a unidade de tempo pela qual a tua existência de bebé se rege. Nem mais nem menos. Por isso é que andas a engordar em média 46 gramas por dia. Pelo menos é o que o médico diz depois de chegar a esse valor na sua calculadora amarela Aptamil fabricada na China:

- Uh lá lá!

Dica de pai: Companheiro, a tua vida não vai ser sempre um rodízio permanente, por isso, para o teu bem, é bom que te vás habituando a refeições ligeiras, embora concorde que os rodízios não sejam maus desde que, por contas feitas de cabeça e assim por alto, se coma mais do que se pague. Mas não podes fazer disto um estilo de vida.



Uma das tuas características é chorares apenas quando tens fome. Podemos estar aborrecidos contigo e chamar-te todos os nomes que não te importas nada com a humilhação. Podemos até te levar para o paredão, para os jardins e para os restaurantes de má fama que não soltas um único pio. Agora há um preço a pagar por esse reconfortante pragmatismo comportamental. É que mal sentes um leve ratito nesse teu estômago minúsculo, que só a custo aguenta 120 mililitros de Mc Leite Suíço, desatas num berreiro tal que duvido que algum dos nossos vizinhos não saiba que chegou a tua hora de repasto. A Sofia do 1º andar confidenciou-me que já nem se preocupa em programar alarmes para acordar às sete da manhã. É que o seu despertar para a labuta coincide, por graça divina, com o teu primeiro biberão do dia.

De forma a te manter feliz, os teus pais vão fazendo alguns progressos para reduzir o tempo do escarcéu. Um biberão anti-cólica Dr. Brown com pega ergonómica, que nos primeiros dias demorava quase 5 minutos a ser preparado é agora aviado em 36,2 segundos pelo pai e 43,7 pela mãe. Vai ser bastante difícil superar estas marcas, mesmo que os chineses entrem na corrida.

Agora explica-me uma coisa, que ando curioso. Desde que nasceste já te fizemos, assim por alto, duas centenas de refeições. O processo é sempre igual. Pá, tu estás a ver-nos ali ao teu lado a mexer no termo, no biberão e na Mc Lata, exactamente da mesma forma como das outras vezes, porque raio pensas que desta não te vamos enfiar a tetina na boca? Achas o quê? Que vamos fugir com 90 mililitros de leite instantâneo debaixo do braço às 4 da manhã?

Meu, percebo pouco de bebés e nunca tive de alimentar um cão ou um gato, mas aposto que os animais de estimação compreendem um sistema simples desta natureza numa semana.



Gostas que te troquem a fralda Dodot etapas nº2 após a refeição, especialmente se adormeceste aos 40 mililitros (outra mania tua). Isso é montes de chato. Repara que a tua fome não é directamente proporcional aos decibéis com que castigas o mundo. Se o teu cosmos de bebé fizesse sentido, com a algazarra que costumas fazer, era de prever que só te consolasses depois de beberes uma litrada. Agora adormeceres a meio biberão, por amor de Deus! Ao menos podias respeitar um pouco quem te alimenta e passar pelas brasas no final, depois de expulsares o teu Mc Arroto.

Em relação à fralda. Apesar de seres querido, redondinho e absolutamente adorável, o teu cocó, e ao contrário da ideia que dás quando se olha para ti em especial quando bocejas, cheira realmente muito mal e não é agradável estar por perto nessa altura. Isto só prova que não se devem julgar as pessoas pelas aparências.

Aproveitando a onda, deixa-me dar-te só mais uma informação estatística. A média de banhos que tomas com a tua própria urina é neste momento de 1,3 por dia. Só para veres como são as coisas, nos primeiros três dias o ratio era de 4,5. Isto demonstra bem a forma como os teus pais estão a progredir nas suas tarefas parentais.



O teu gosto musical é neste momento muito melhor que o da tua mãe. Gostas dos concertos de Brandenburgo de Johann Sebastian Bach, das partituras mais emblemáticas de Mozart, dos concertos para violoncelo de Handel e o concerto para o príncipe da Polónia de Vivaldi. Aprecias também Diana Krall e algum Acid Jazz, não todo.

A tua mãe, que não pode ver nada, quando eu voltei a trabalhar, aproveitou-se do meu infortúnio para te iniciar nas músicas mexicanas das telenovelas dos anos 80.

E ainda por cima cantou-as todas. Acho que não merecias e por isso fui obrigado a tirar férias à pressa.



Uma coisa porreira é que, se andarmos contigo atrás, poupamos imenso tempo nos balcões dos serviços públicos. Na Segurança Social somos atendidos em 15 minutos, no Registo Civil 10 minutos e nas finanças 20 minutos. Já viste? Além disso o Jumbo, por tua causa, oferece-nos um ano de entregas grátis. Como se fosse pouco ainda temos lugar reservado nos estacionamentos e até nos deixam passar nas caixas de supermercado. Além disso és a desculpa perfeita para nos livrarmos de convites sociais de baixa motivação.

E repara que és capaz de nos proporcionar isto tudo enquanto dormes. Nem quero imaginar o que serás capaz de fazer quando estiveres acordado e aos berros.



É um facto que a vida dos teus pais mudou imenso. Nem imaginas. Tudo diferente. Mas ao contrário do que se poderia pensar, sentimos uma total e libertadora sensação de alívio. A partir de agora tudo perde a importância que costumava ter. As coisinhas enfadonhas e desgastantes da vida deixam de fazer sentido. Apenas nos concentramos em ti. Deixou de ser relevante aonde vamos jantar, com quem, o filme que queremos ver, a quem telefonamos, qual o shopping onde vamos fazer compras, a necessidade de comprar umas calças ou uma camisa, as chatices laborais, a mesquinhez humana e, para ser sincero, nem sequer sabemos o que se passa no mundo. Nem a crise nos perturba e até, quando o Cavaco surge na televisão, já não mudamos de canal nem nos interrogamos como é que alguém como ele chegou a presidente da república.

Se queres que te diga, nem imaginava o quanto a vida poderia ser tão motivante e agradável. Quando acordei e te fui ver ao berço, estavas a dormir todo fofinho na tua posição de bebé com uma prenda maior do que tu ao lado. É disto que falo. Bem, hoje é dia do pai e parece-me que, desta vez, sou eu que estou de parabéns! Só gostava de saber aonde arranjaste dinheiro suficiente para comprar a t-shirt Pull and Bear que me ofereceste.

4 comentários:

gralha disse...

O Gabriel vai curtir tanto destes textos daqui a uns anos!
(já pensaram fazer workshops de paternidade?)

Ana. disse...

Adoro! Adorei quando os li pela primeira vez e estou a adorar agora reler os textos do Hugo!

Crónicas de Moscavide, asap!!!

Melissinha disse...

boa, Gralha, vou já fazer o post alusivo. Achas 40 eur mais IVA justo?

Ana, tou a fazer pressão, mas o moço reage pouco. Reage pouco!

Costinhas disse...

brutal!

Eu acho que nunca o tinha lido, mas de certeza que agora não vou perder mais nenhum.