sexta-feira, 30 de dezembro de 2011

Coisas que não escrevi em 2011

Adoraria ter a capacidade de desenvolver temas organizada e inteligentemente como alguns bloggers que por aqui andam, mas é difícil! Cada vez sou pior a encadear pensamentos, sai tudo sempre muito caótico e palavroso e emotivo demais. Autodiagnostiquei-me com um leve ADD (com a ajuda da Internet).

Enfim, queria ter escrito sobre uma série de coisas que não escrevi (por N razões), e deixo aqui algumas delas. Pensei e não escrevi

- Sobre coisas que eu dizia enquanto não era mãe e que caíram por terra.
- Sobre a delicadeza que, num segundo casamento, a pessoa que chega deve ter para não desequilibrar a dinâmica familiar (e não se tornar odiada).
- Sobre a dureza da reprogramação mental depois de uma perda, por mais pontos finais que coloquemos ao luto.
- Sobre inspiração, de onde ela vem.
- Sobre quem eu e o Hugo éramos quando nos conhecemos.
- Sobre algumas coisas feias que não consigo evitar sentir.
- Sobre o ginásio em que ando agora, que adoro e que é diferente de todos os outros em que já andei.
- Sobre o aceitar o lado negro das pessoas e aprender onde pôr o limite.
- Sobre o café do Manel.

7 comentários:

Ana C. disse...

Quem é o Manel?
Adorei estes temas. Podes fazer-me o favor de escrever antes de 2012?

Melissinha disse...

É o Manel do café decrépito aqui do centro comercial decrépito (olha, onde bebemos café), que mete uma rodela de laranja toda esculpida em cada sumo que pedes. Não conheço homem com um brio igual.

Ana C. disse...

Deve ser a mesma casca que usa para todos os sumos de laranja :)

Melissinha disse...

Porquita. Não é nada, o gajo é mesmo assim, decora tudo que vai para a mesa.

Ana C. disse...

Devia integrar a equipa do Querido Mudei a Casa e está desperdiçado no seu próprio café.

Melissinha disse...

sua sem coração. O Manel é o máximo.

Mary disse...

Melissinha, qual é o teu ginásio? É perto de tua (e minha) casa?