quinta-feira, 24 de maio de 2012

Crónicas do Encolhimento - o de sempre

Stresso-me por estar a perder peso muuuuuito devagar-quase-parando ou cago?
Aceito o meu metabolismo de caracol balzaquiano e sigo em frente, porque mais vale perder devagar do que ganhar depressa?
Ou entro numa dieta doida e começo a tomar termogénicos e vou viver para a passadeira?

Estou profundamente existencialista com a progressão geométrica do abrandamento do meu emagrecimento (ih, caneco). Porque até há um mês era vamos, bora lá, tudo à frente, e agora parece que estou a ser testada pelo deus da reeducação alimentar. E se no primeiro mês de dieta perdi sete quilos, neste último perdi... um. Um nem é perda de peso, é oscilação.

Parece fútil, mas não é. É das maiores empreitadas de sempre na minha vida, esta.
E já devia saber que qualquer caminho tem dessas coisas.
São os cocós no caminho.

E os cocós chamam-se "facadas na dieta", eu sei. Mas o metabolismo de caracol balzaquiano ajuda.

17 comentários:

triss disse...

ó mel, no biggest looser, ao início eles perdiam sempre imenso peso, porque basicamente era água. Depois é que vinham as semanas mais difíceis.
Olha que não estou a dizer que és gorda como eles hã :-)

gralha disse...

Deve ser MUITO difícil manter a determinação nessas circunstâncias. Eu acho que ficava tão impaciente que desatava a tomar tudo e mais alguma coisa e ia viver para o ginásio. Mas eu sou o pior dos exemplos da impaciência.

Já fazes aquela coisa do dia da perdição, em que podes recompensar-te pelo resto da semana de míngua? A ideia faz bastante sentido.

Melissinha disse...

Pá, faz sentido a curto prazo, mas o que eu quero é libertar-me da coisa do comida boa vs. comida má... E ir de boa escolha em boa escolha, a cada refeição, encaixando os pecados.

Com o sistema de pontos do weight watchers dá para encaixar merda de vez em quando - claro que têm muitos pontos e depois deixa-me a sopa o resto do dia.

(Na verdade, a reeducação anda a correr lindamente. O comportamento de correr para comida para tapar buraco só aconteceu duas vezes em quatro meses, quando era uma praga diária. Consigo resistir bem a más escolhas. Digo que dou facadas porque dou, às vezes como, vá, um bolo na pastelaria. Não me queria sentir mal por causa do bolo e não sei se a porra do bolo altamente ocasional tem que ver com o abrandamento da coisa. Racionalmente, acho que não. Mas tenho de culpar ALGUMA coisa).

O que não quero é mudar radicalmente o meu comportamento para algo que não consiga manter a longo prazo. Pensei em fazer uma dieta proteica para dar o choque, mas caneco, isso não é sustentável, não para mim. Por isso, continuo a comer pouco e bem e a rezar por resultados. Com sorte, daqui a um ano este mês não vai significar nada, afinal o mais importante, que é comer pouco e mexer-me mais está a ser feito. Só falta o deus da RA se manifestar.

Ana. disse...

Os termogénicos não te vão ajudar a longo prazo, Mel... Se tens tanto essa vontade de cultivar bons hábitos que sejam duradouros, este tipo de comprimido não é mesmo para ti, porque até te podem fazer perder cinco quilos num mês, mas assim que parares de os tomar os cinco quilos voltam. Isto já para não falar como os termogénicos são uma verdadeira bomba para o coração e para o fígado... Já sei que há muita gente que os toma e que muitos treinadores os aconselham, mas a não ser que quando acabares de os tomar passes a treinar três horas por dia (e não só na passadeira, mas treino de força, resistência e muiiiito cardio) os comprimidos não vão adiantar nada. E entretanto massacraste os teus órgãos.
...
Dá para ver que ODEIO este tipo de medicação?!!...

Melissinha disse...

Eu não quero trazer nada que não seja sustentável a longo prazo...

Rita disse...

Não recorras a qualquer tipo de medicação. Só servem para boicotar o teu metabolismo :(

Em relação à dieta proteica. Acho isso um bocado assustador. Uma dieta em que não te permite comer fruta (o alimento mais saudável deste mundo) deixa-me sérias reticências.

Será que não seria boa ideia seres seguida por uma nutricionista? Pelo que falas tens mantido o mesmo tipo de dieta desde o início. A ideia que tenho é que as nutricionistas vão alterando as dietas de forma a "mexer" com o metabolismo. Podia ser que fosse uma ajuda.

Melissinha disse...

Eu sou seguida por uma nutricionista, Rita, mas ela deixa-me à vontade, porque eu não cumpro esquemas pré-definidos, não vale a pena. Cumpro quotas calóricas. Já estou bem "educada" sobre os alimentos.

O que eu acho é que é isto mesmo, isto é um abranda-e-arranca e às vezes volta atrás. Claro, se este mês passar a três meses, tenho de parar para pensar seriamente, fazer análises, etc.

Isto já aconteceu antes - perdi cinco quilos num instantinho e depois foram três semanas para perder outro. Depois, dois duma vez.

Olha, o corpo só é um relógio nos anúncios de iogurtes verdes.

Ana C. disse...

Ontem o programa do Dr. Fuck'n Oz foi muito bom. Ele falou de certos organismos que não produzem certas merdas (não me lembro do nome) que ajudam a processar as calorias e que, por muito que façam dieta, nunca têm os mesmos resultados do resto das pessoas que as produzem em níveis normais.

Ana. disse...

É pá, o comentário da Cê é o máximo!!! Repara que são "certos organismos que não produzem certas merdas"!!!!! Priceless!!

Ana C. disse...

À procura dos organismos e merdas certas, deparei-me com isto sobre dietas que cortam nas calorias. Take a look.

The problem with severely restricting diets, however, is that they jolt your body into “starvation mode,” preventing your body from burning unwanted fat. This mechanism, which is thought to have evolved as a defense against starvation, helps the body make the most of the calories it gets from food and drink; the body, in order to keep functioning, then looks to get some of it calories from lean muscle. This results in muscle loss. Less muscle means a slower metabolic rate – and in this case, stalled weight loss.

Ana C. disse...

Anamê tu não me gozes, que certos e determinados organismos e merdas não gostam!
Quando digo certos organismos, quero dizer, certas pessoas :)

Ana. disse...

Ahahaha! Agora sim, fizeste o verdadeiro serviço público!
E já agora, esse excerto é óptimo. Não podemos esqueecr-nos que os músculos para conseguirem queimar a gordurinha precisam de combustível para trabalhar e esse combustível é a comida. Quando se come menos do que o ideal, o músculo abastece-se de massa magra em vez de ir às reservas de massa gorda... É um bocadinho estúpido, mas para perder peso é preciso comer, sim; e fazer exercício, claro está!

Vamos abrir uma cena de fitness?! Era negócio!

Melissinha disse...

Façam assim: emagreçam-me tipo HOJE e sou a vossa garota-propaganda sem gastar um tusto!

(Eu não tenho problemas metabólicos, tenho é um metabolismo de merda. Não há remédio para isto além de NÃO DESISTIR).

Melissinha disse...

e o meu corpinho ia ter de cavar muito, muitíssimo até chegar à massa magra. Receio bem que se afogasse em adiposidade antes disso :D Não corro esse risco, mores, descansem. E não consigo fazer dietas restritivas, porque, enfim, gosto de comer.

Ando em torno de 1200-1500 cal por dia, e o meu metabolismo basal é de 1900 (quer dizer, era há 15 quilos, agora deve estar menos...), portanto, é uma questão de continuar por este caminho - digo eu.

O segredo é mesmo não desistir. Se possível, até esquecer de que estou a fazer isto para emagrecer. Posso pensar que estou a fazer isto para desintoxicar de anos de abuso e, de quebra, assim se calhaaaaar emagreço. Se calhar está aí o segredo da perseverança: mudar o foco.

Melissinha disse...

Acabei de descobrir que a minha TMB já vai em 1600, ou seja, tenho mesmo de diminuir o que como ou aumentar o que gasto.

ODEIO ISTO.

Julieta disse...

E como é qu se faz para saber essa coisa da TMB?

hugo carvalho disse...

Há uma fórmula complicadíssima, Julieta, mas faz uma buscar por calcular TMB na internet que te dá logo algumas calculadoras online.

Representa o que gasta o nosso corpo para se manter vivo.