segunda-feira, 20 de agosto de 2012

A Concorrência

Há que ter um bom par deles para abrir uma gelataria a 20 ou 30 metros do Santini, mas foi o que fez o senhor estrangeiro incrivelmente simpático da Concorrência (é como a chamamos, aliás, era como eu a teria chamado, se fosse minha). Desde que lá fomos pela primeira vez que ficámos fãs. Em vez de estarmos numa fila impessoal e altamente eficiente uns passos acima, ficamos para ali a decidir entre os sabores estranhos (Scrock? O que é scrock? Qual é a diferença entre o de chocolate e avelã e o de nutella?) enquanto falamos com o senhor estrangeiro incrivelmente simpático que faz aqueles gelados todos os dias, com muito pouca ajuda. O meu irmão chega a experimentar TODOS os sabores e a única cara feia que leva é com a minha.

O Gabriel só paga um euro (há preços especiais para crianças e velhotes) e come sempre o de cuxulate.

Claro que aquilo nem faz cócegas aos sovacos do Santini, mas noto cada vez mais gente de cada vez que lá vou, que é o tipo de coisa que nos deixa contentes, para quem já nos conhece. E acho que o simpático do gringo está a realizar um sonho. Tal como a senhora do Starbucks, o homem está para ali de alma lavada, feliz da vida. Creio que trocou um emprego chatíssimo por aquele.

Há que ter um bom par deles.

18 comentários:

Joanissima disse...

Definitivamente, abaixo essa adoração de negócios massivos e viva, cada vez mais, a gente arriscadeira que investe em sítios personalizados e personalizáveis.

A carneirada também não é para nós.
E há cá uma Italiana (na Fig Foz) e posso assegurar-te que serão, provavelmente, os gelados mais gostosos que já comi. Sabem a casa.

hugo carvalho disse...

Os gelados são de ir ao céu.

Naná disse...

Não ficaria espanta se esse gringo facturasse mais do que o Santini...

Em Carvoeiro existe uma das melhores casas de gelados que eu conheço e é um cubículo pequeno onde se pode ver fazer os cones de bolacha. Está sempre à pinha e há pessoas que no verão esperam 1h na fila que desce a rua até ao largo principal. Julgo que o Santini não lhe faria sombra!

Melissinha disse...

O Santini era mais simpático antes de ser franchising. Birra minha.

Melissinha disse...

O gringo ainda não tem um séquito e é raro haver mais do que um cliente à nossa frente. É um caminho duro a percorrer. A seu favor, tem as receitas: o gelado é mesmo delicioso e estou em crer que quem lhe dá a hipótese, volta.

gralha disse...

Nem o Santini, nem o do Carvoeiro: o melhor gelado é o de ameixa que faço na Bimby. E também faço um atendimento muito caseirinho.

Melissinha disse...

Já cá faltava uma bimby!

Ana C. disse...

Sempre que passo por lá, penso: Mas quem é que se lembrou de abrir uma gelataria na rua do Santini??????
Nunca experimentei :)

Ana C. disse...

Ontem, passei por lá e havia várias pessoas lá dentro e outras tantas sentadas naqueles bancos exteriores.

Melissinha disse...

Casacón, da próxima, experimenta.

Melissinha disse...

Nós fomos às festas, ontem, lá comemos um geladinho de oreo e um de cuxulate.

Ana C. disse...

Quanto ao Santinni, não sejas snobe, continua maravilhoso e acessível a mais malta, além dos betinhos da linha, como tu.
Experimentarei, mas caraças, com o santinni ali ao lado, irei sempre ao santinni.

Naná disse...

gralha, se fizeres um de pistachio eu como, com ou sem Bimby!

Melissinha disse...

Esta betinha é pelos underdogs, Casacón, pelos underdogs! Vive la resistance!

hugo carvalho disse...

Para que fique registada uma opinião sensata e imparcial ,os gelados de fruta do Santini são incomparáveis, mas os gelados de guloseimas, como o de Mutela ou de Oreo da concorrência, caramba, são de ver a Virgem Maria ali sentada nos banquinhos

Melissinha disse...

É isso!

Melissinha disse...

"sensata e imparcial" hahahah

Melissinha disse...

Acho inacreditável que um post sobre gelados tenha cinco vezes mais comentários do que o post sobre o meu orgasmo literário. Suas lambonas.