segunda-feira, 6 de agosto de 2012

Um declutter que não consigo fazer (pedido de ajuda, portanto)

O da mala.
A minha mala é pesadíssima, e adoraria ter uma mala levezinha.
Mas acho que preciso de tudo que está lá dentro.
Sou, com a mala, o que não sou no resto da minha vida.

(Digo que é uma questão de controlo, quero ter tudo sob controlo e preparada para qualquer eventualidade - que nunca acontece, é óbvio).

Quem consegue andar só com o telelé e a carteira, digam coisas. E se tiverem sede? E se precisarem de comprimidos para várias dores diferentes? E uma sebenta para anotar trivialidades? E um caderninho de capa dura para coisas menos triviais? E se vos acontece não sei quê e coiso?
COMO É QUE VOCÊS RESOLVEM ISSO?

33 comentários:

Naná disse...

Melissa, eu também achava que não era capaz do declutter da mala. Até ao dia em que ma roubaram nas minhas barbas de dentro do meu carro enquanto punha as compras na bagageira... Perdi o caderninho com notas pessoais triviais e nada triviais e senti-me despida, roubada na alma, muito mais do que o valor em € que me roubaram, seja a carteira, os telemóveis e máquina fotográfica com que ficaram. Doeu-me mais o roubo do Faísca MacQueen do meu filho do que a perda do leitor de MP3 ou da pen usb 16 GB que carregava com os meus trabalhos...

Quanto ao caderninho, tenho um, mas é uma reprodução do que foi roubado e apenas tem o essencial à sobrevivência(vá lá... eu tinha uma backup do caderninho, um moleskine pequeno que se molhara com uma garrafa de água mal fechada uns meses antes...).
As notas triviais e não triviais escrevo no Evernote do telemóvel e sincronizo-o todos os dias, para nunca mais perder o que escrevi.
Aprendi a equacionar as ocasiões em que devo levar a máquina fotográfica.
Comprei um telemóvel com walkman incorporado e nunca mais levei os brinquedos do miúdo na minha mala.
Hoje ando com metade da tralha dentro da mala!

Ah... e o facto de ter recuperado todos os documentos pessoais e todas as cópias das chaves de casa não me apagou o trauma!

Té F. disse...

Mulher que é mulher tem uma mala grande e cheia de tralha :)))
Pelo menos eu também sou assim!
E depois quando o telefone toca levo eternidades para o encontrar e as chaves...oh as chaves, nunca as encontro sem remexer a mala toda!
Mas não consigo viver sem meio mundo dentro da minha mala :)

gralha disse...

Hoje comi todas as gomas que os meus filhos me tinham deixado na mala, por exemplo.

Melissinha disse...

"As notas triviais e não triviais escrevo no Evernote do telemóvel e sincronizo-o todos os dias" - Ok, ficção científica, mulher, ficção científica!

Té, mas eu ODEIO. Odeio coisas, odeio chafurdar a mala à procura do telemóvel, odeio coisas.

Acho que preciso dum tratamento de choque.

Melissinha disse...

ao menos isso, Gralha. Tudo que o meu filho me deixa na mala é peganhento ou vem com cabelos e areia.

Naná disse...

Ficção científica: www.evernote.com

Té F. disse...

E o peso, Melissa? Aquele peso ali no ombro não nos deve fazer bem nenhum.
Eu não sou canhota mas só consigo usar a mala no ombro esquerdo.

Naná disse...

Ah e podes sempre pedir um organizador de mala à Irina, para pelo menos teres um compartimento específico para as chaves e não teres que chafurdar!

Melissinha disse...

eu tenho um organizador de mala, está sempre a abarrotar. Eu não quero é ter cenas para organizar, quero que tudo caiba numa coisinha pequenina, mas é impossível, impossível!

Naná disse...

só com uma mala do Sport Billy!

Ana C. disse...

Eu ando com telemóvel, chave do carro e carteira. Pacote de lenços é um upgrade ocasional. Odeio andar com a casa às costas.

Ana C. disse...

A gralha tem cenas estupidamente parecidas comigo. Hoje mesmo, na praia, comi uma bolacha embebida em água tépida do balde do António. Ia-me vomitando toda. Mas tudo é preferível a caminhar até ao lixo.

Melissinha disse...

Casaca, e as eventualidades?

Ana C. disse...

Não vou para o deserto :)

Mafalda disse...

sou exactamente igual! nunca percebi como há mulheres que têm sempre a mala apenas com a carteira e o telemóvelm porque eu preciso sempre de TUDO e quando digo TUDO é mesmo TUDO na mala... ando sempre carregadíssima e com malas gigantes. De cremes, a escova do cabelo, maquilhagem, lenços de papel, máquina fotográfica, comprimidos, canetas, cadernos, há de tudo ali! para mim não dá malas pequenas, têm de ser gigantes para caber o mundo lá dentro.
até a fralda e a chucha da madalena
:-P

Melissinha disse...

Preciso de um downsize urgentemente!

ouvirdizer disse...

As minhas malas mais antigas são as que uso agora na praia... ahahahah. Juro!
Na mala tenho: 1 telemovel; 1 agenda; 1 carteira; 1 caderno preto A5 e 1 esferográfica. Tudo em pequeno (alguns pacotes de açúcar e talões de compras também, mas ocupam pouco espaço).
O processo foi simples: primeiro vieram as toalhitas e as fraldas e as chuchas, depois ficou o espaço.

Melissinha disse...

Vou imitar-te.

gralha disse...

Confessando toda a verdade: a mala é o meu refúgio de desarrumação. Toda a minha vida é esqueleticamente destituída em comparação com os lixos inúteis que levo ao ombro. Só hoje tinha (e tenho!) dois aviões de metal, uma peúga, dois cabos, maquilhagem, vários artigos de farmácia, agenda, porta-moedas, telemóvel, 3 lenços ranhosos, 5 jogos de chaves e as malfadadas gomas. E estou perfeitamente em paz.

Melissinha disse...

Ai, Gralha, não encontro paz no excesso. Não encontro paz no excesso! Preciso que tudo feng-shuize bem. No entanto, a mala é o meu reduto de insanidade e ganas de controlar a minha vida toda.

Mas força aí nisso. E nas gomas.

PS - Hoje vou sair de casa com a mala mais leve: carteira, mobile, iogurte e livro. Pronto, não será mais leve por causa do livro.

Pekala disse...

eu levo sempre um porta moedas pequeno onde cabem moedas e cartões,as chaves,o telefone e lenços de papel(só qnd saio com o míudo).em dias de trabalho levo a tupperwear com o almoço e um livro dos pequenos para ler no autocarro.escolho a dedo os livros do autocarro,teem que se bons,pequenos e com poucas páginas.quanto menos peso melhor.o meu grande objectivo na vida é não usar nada mas isso é impossível.não entendo a cena dos cremes,os cremes meto em casa e nunca deixo o meu filho levar para a rua mais do que o que ele próprio consiga carregar que já lhe expliquei que não sou criada dele.
aliás,durante a semana uso mochila,tudo o que realmente preciso vai na bolsa pequena exterior da mesma.

Joanissima disse...

Eu opto por carteiras pequenas para não haver cá tentações. Tenho uma carteira (porta-notas e porta docs tudoemum) de per si levezinha, tenho um mini porta moedas só para esse efeito, telemovel e um leque.
Na bolsita de dentro (que até tem um fecho) tenho uma caixinha com 3 benurons e dois brufens) e anda por lá um baton de cieiro e um terço.

Ora, se preciso de por lá mais alguma coisa, é o pénis. Mas cabe ainda um iogurte liquido.
Livros passeio-os nas mãos e recuso-me, como disse a pekala, a carregar coisas da mini-gaja; ela alias ja usa sua própria póssete.

É tudo quase sem peso algum que as minhas costas não suportam mais que isto. Alem do mais, é obrigatório ser carteira a tiracolo; não uso, de tido, carteiras de ombro e, de mão, só quando tenho que ir a julgamento.

Joanissima disse...

As chaves de casa ficam sempre dentro do carro e quanto a bloquinhos de notas, escrevo no telefone, se for urgente. Se for muito o que quero expressar, peço uma folha branca (tantas vezes que é um guardanapo ou um pedação de rolo da registadora em branco) e dobro.
Simples, prático e eficaz.

Ana. disse...

Se tiveres sede, compras uma garrafa de água, se te lembrares de qq coisa para registar, escreves no esperto, se tiveres dor de dentes, passas na farmácia mais próxima!

Eu uso malas enormes, porque gosto, mas confesso que não as encho, não ando com muita tralha: telemóvel, carteira com cartões e documentos, lenços de papel, um pacote de pastilhas elásticas, uma bolsita com comprimidos, uma escova desdobrável e uma escovinha de dentes de viagem, uns phones no bolsito do lado, a bolsa dos óculos de sol e as chaves de casa. E não costuma pesar muito!

Se quiseres, purgas a mala, sim!!

Melissinha disse...

Purguei hoje. Não precisei de nada que ficou em casa.

Julia disse...

Eu tenho bolsas médias e sempre com divisórias, odeio as grandes, onde não se acha nada. Junto montes de tralha nelas e dou umas limpadas de vez em quando, mormente quando vou trocar de cor de bolsa. Mas, desde sempre, tenho bolsículas, daquelas de tiracolo, de feira e, mais recentemente, adotei um moedeiro grandinho onde cabe meu celular, um cartão, moedas e cédulas, a chave da porta com chaveiro e tudo, e quiçá até um ob ou porcariazinha das meninas. Só uso isso quando vou sair a pé, para compras pelo bairro ou mesmo passeios mais longos com as cri. Bolsa completa, só de carro ou para viagens.

Julia disse...

Ah, o moedeiro tem uma alcinha, levo-o no pulso. E também cabe um batom, se preciso for.

O pior que já me aconteceu, recentemente, foi precisar de lenços de papel para alguma meleca das filhas. Entrei na farmácia, comprei por menos de um real, e guardei no bolso.

Melissinha disse...

Ahhh, Julia, adorei. Será o meu próximo passo evolutivo (a sério).

Melissinha disse...

Aliás, começo a ver que o meu minimalismo tá mais na cabeça do que na vida. Vou dar uma geral.

Joana Papa disse...

Mala de mãe é mesmo assim. E antes de ser mãe também já era assim.
Na minha passeiam frascos de soro fisiológico e isqueiros (não fumo, mas nunca se sabe quando é necessário fazer uma fogueira), material de costura e Imodium, cadernos e agenda, carregador de telemóvel e Kompensan. Entre outras coisas que no dia em que tirar da mala, vou precisar delas pela primeira vez.
Joana come a papa

Melissinha disse...

hsahhaha que delírio, Joana da papa!

triss disse...

Nãoresolvo... tenho o mesmo problema que tu :-/

Andie disse...

Trabalhando as emoções é raro ficar doente, se me doer a cabeça, há sempre um motivo por trás, encaro-o ou na ultima hipotese auto massagem, a minha carteira do dia a dia tem o telemovel um porta moedas de pele fininha minimo com dinheiro(se o o houver, uma senha quando n me esqueço e o cartão de cidadão), telemovel e tabaco, isqueiro e chaves de casa.Se for sair tenho uma carteirinha pra meter na carteira com o lapis de olhos, um lenço de papel amorfanhado que sobrevive, um baton e o soro pras lentes(unica e verdadeira razão da bolsa existir. Nunca senrti falta de nada. Escrever notas? telemovel ou facebook via mobile.
e é isso.