segunda-feira, 27 de agosto de 2012

Crónicas do Encolhimento - tentando relaxar

Às vezes, penso que ando a comer feito um bizonte - e, realmente, comparando com o início do ano, estou realmente a comer mais - e tenho de reduzir as calorias para continuar a emagrecer. Neste momento, estou em ponto morto, estacionada e vigilante nos - 18, mas curtindo as férias na mesma.

Mas, às vezes, penso nesse "curtindo as férias na mesma" e tenho medo de estar a fazer o caminho de volta para o peso de janeiro, e ai meu Deus, será que estou a sabotar-me, será que vai voltar tudo ao mesmo, e ai meu Deus.

Deus parece ter respondido às minhas preces e, ontem, resolvi ver fotos antigas do FB, fotos do ano passado. Muita comida, muitos menus completos, muita descrição. Muito doce de leite, estrogonofes, chocolates, massas, etcs, mesmo muita comida. Uma prima disse-me, na altura: "você só pensa em comida". Pensei nessa frase ontem ao ver as fotos, antes de me lembrar que ma tinham dito antes.  Caramba, COMO EU MUDEI. Qual sabotagem, qual carapuça. Estou no caminho certíssimo, a limpar a minha vida.

E assim, respirei. Isto é um novo modo de viver para mim e para a minha família, em construção, e não um destino a chegar depressa. Haverá oscilações, haverá dias de saco cheio, haverá férias. Haverá barras de chocolate e haverá choros devido a barras de chocolate. Haverá drama, claro, que estamos a falar de mim.

E, assim, tenho um leve palpite que o meu objetivo está a ser atingido - e qual é o meu objetivo? Parar de pensar em comida e ponto. Parar de pensar em comida má/comida boa, em comportamento bom/comportamento mau. Não dar esse tipo de valor ao que é sempre, sempre bom quando comemos a ouvir o corpo e não a mente. Ainda não estou lá, mas estou mais lá do que em janeiro e isto sabe a um muito necessário crescimento espiritual.

5 comentários:

Ana. disse...

"Haverá barras de chocolate e haverá choros devido a barras de chocolate. Haverá drama, claro, que estamos a falar de mim."

Isto és tão tu!!
E adoro ver-te a chegar lá sozinha; só aí já está meia vitória!
Keep up with the good work, love!!

Naná disse...

Continuo a dizer que ser contida na comida "está tudo na cabeça"!

Silvina disse...

Melisse, vamos trocar? Também ando à luta com a comida, no meu caso para conseguir enfardar o mais possivel, quando não me apetece nada. é estranho como a comida comigo deixou de ser um prazer, porque me custa a mastigar, demoro imenso tempo (tempo esse que acho sempre que poderia estar a usar para outra coisa), é cansativo! Nos dias bons ainda tenho algum prazer com coisas simples e inesperadas, legumes, um risotto, caril,... Gelado de vez em quando!
No fundo, para quê complicar, comida é só comida. Vai doucement... Eu acredito em ti, e nessa mudança que estás a processar em ti e com a tua familia. Dicas à séria: vigiar as quantidades!
Bisous saudosos*

Melissinha disse...

Troco imediatamente, Silvine!!!

(Já reparaste que adicionei três pontos de exclamação ao teu nome? Fica mais germânico).

Melissinha disse...

Dica, Silvine: e enriqueceres a comida com linhaça ou quinoa? Não aumentas muito o volume, mas aumentas a densidade calórica e nutricional.