terça-feira, 23 de outubro de 2012

Um post nada humilde sobre humildade

Já escrevi algumas dez vezes sobre isto, mas repito sempre que me lembro: adoro pessoas que admitem e falam com naturalidade dos seus pontos fracos e erros.

Conheço pouquíssimas, mesmo muito, muito poucas. A maioria das pessoas é defensiva até à morte no que diz respeito ao seu caminho e à sua vida. Tudo se explica a seu favor. Se erraram, o erro é dos outros, foram "induzidas em erro".

Eu não sei, a sério, não faço mesmo ideia do estado em que estaria a minha vida se não me tivesse arrependido de muita merda que fiz, se não olhasse de frente para os defeitos que mais me incomodam. Onde é que eu estaria se não tivesse percebido algumas vezes que estava no caminho errado. Se não me julgasse de vez em quando, a lembrar que tenho padrões, sim, e não valem só para os outros, valem para mim também.

Caramba, se ainda acho a minha vida uma bagunça, é que nem quero imaginar como estaria se tivesse chegado até aqui de olhos fechados em relação a mim mesma.

(Se calhar estava melhor).

3 comentários:

Julieta disse...

duvido. sabermos olhar para nós próprios com imprcialidade é a unica forma de melhorarmos.

Naná disse...

Acho que mais humilde é aquele que admite que errou e por isso se emendou do que aquele que se julga humilde e nunca o foi verdadeiramente...

Sermos capazes de reconhecer erros é meio caminho andado para crescermos!

ouvirdizer disse...

Sabes... este tema é muito falado lá em casa. Sempre me achei uma menina boazinha e tal. Felizmente conheci um Homem com quem tive a sorte de casar já fez 7 anos que me fez ver isso mesmo. Entre o que queremos projectar (com tanta porcaria que fazemos pelo caminho) e aquilo que somos realmente vai uma linha... um abismo?!... Tem sido uma descoberta, mais minha, outras vezes de ambas as partes.
Há que reconhecer, assumir, perdoar(-nos) e ser humildes no caminho. Só assim podemos então ser quem realmente queremos.